PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Feira exclusiva de vela prevê maior crescimento em 2023

Antonio Alonso

23/05/2022 15h25

Terminou neste domingo (22), em Niterói (RJ), a edição de 2022 do VelaShow, a maior feira dedicada à modalidade no Brasil.
Realizado no Clube Naval Charitas, o evento chegou à sua segunda edição com muitas expectativas no meio náutico. Durante os três dias de exposição, o VelaShow recebeu milhares de pessoas, entre comerciantes, lojistas, velejadores e fãs do esporte, superando as expectativas iniciais de organizadores e expositores em número de presentes e negócios gerados.

Realizado no Clube Naval Charitas, o evento chegou à sua segunda edição com muitas expectativas no meio náutico. Durante os três dias de exposição, o VelaShow recebeu milhares de pessoas, entre comerciantes, lojistas, velejadores e fãs do esporte, superando as expectativas iniciais de organizadores e expositores em número de presentes e negócios gerados.
Os principais players da cadeia produtiva de vela, náutica, turismo e serviços mostraram suas novidades nos mais de 40 estandes com uma grande variedade de produtos. O evento tem como propósito proporcionar aos expositores e visitantes um encontro de tendências, inovações e tudo aquilo que o setor da vela náutica tem de melhor em produtos, serviços e treinamentos para velejadores apaixonados pelo mar.

Diante do sucesso, a organização do VelaShow já confirmou a terceira edição em 2023, com local ainda indefinido. "Foram três anos de espera e ansiedade que valeram a pena. Nossas expectativas foram superadas em 2022, atingimos os nossos objetivos levando uma exposição de qualidade a todos os presentes!", celebra Edilberto Almeida, organizador do VelaShow.

"Recebemos sondagens de cidades do norte, nordeste e sudeste para receber a feira ano que vem. Em breve definiremos todos os detalhes, mas a edição 2023 está confirmada".

Edilberto Almeida revela ainda que grande parte dos expositores presentes nesta edição já garantiu a presença no VelaShow 2023, mesmo sem saber onde o evento será realizado. Fato que revela a satisfação das marcas presentes com a exposição.

"Nós gostamos muito do evento aqui no Charitas, que nos acolheu muito bem depois de dois anos praticamente sem contato com o público. Foi bastante proveitoso, encontramos muitos clientes, estaleiros e amigos. Tivemos, surpreendentemente, mais negócios do que eu esperava. Para nós foi altamente positivo e muito gratificante, valeu a pena. Agora estamos nos preparando para o próximo VelaShow", conta Walter Michel, representante da North Sails.

Presença de grandes nomes

Niterói (RJ) é reduto de grandes nomes da vela nacional e os resultados mostram isso no cenário internacional. A família Grael, que leva a bandeira da cidade para o mundo, tem nove medalhas olímpicas, mais do que muitas nações nos Jogos em toda história. Os clubes de vela como Charitas formam campeões anualmente.

Maior nome do esporte, Torben Grael prestigiou o VelaShow neste fim de semana e aprovou a realização do evento. "Eu acho que ajuda em todos os sentidos, primeiro que temos um salão náutico diferenciado, voltado apenas para quem gosta de barco a vela, atraindo mais público que um comum. Juntar isso com uma boas regatas e palestras", disse o atleta dono de cinco medalhas olímpicas.

Foram realizadas ainda palestras nos três dias de evento, com grandes personalidades do esporte, como a medalhista olímpica Isabel Swan e o campeão mundial de Star, Samuel Gonçalves.

No sábado (22), a Regata Vela Show agitou as águas de Niterói com os veleiros em ação em uma prova que reuniu quase 100 embarcações. Participaram 46 embarcações de vela oceânica com as classes VPRS, BRA-RGS e Cruzeiro. Além disso, mais de 40 barcos monotipos estiveram na regata com as classes Trimarã Pasquele, Wing Foil, Wind Foil, Prancha com Bolina, Prancha sem Bolina e Dingue.

O fita-azul da prova foi o veleiro Vésper IV (ICRJ), que disputou a classe VPRS. No tempo corrigido, o barco caiu para terceiro lugar na disputa. Com isso, o vencedor foi o Avohai (ICRJ), do comandante medalhista olímpico Lars Grael, seguido pelo time Maximus (CNC).

O evento VelaShow teve sua estreia em 2019 no Centro de Eventos de Itajaí (SC), no mês de abril. Os organizadores tiveram uma resposta positiva no mercado do Brasil na vela após o sucesso da edição catarinense, que só não teve sequência depois por causa da pandemia de COVID-19. A equipe da Cardoso Almeida, responsável pela feira, aposta no fator Rio de Janeiro para receber mais visitantes. A região é um eixo importante de negócios náuticos.

 

Foto: Fred Hoffmann

www.onboardsports.net

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas