Sobre as Águas http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br Informação e opinião sobre vela, náutica, navegação e mar em geral. Mon, 20 Aug 2018 17:07:25 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Classe C30 recebe nova tripulação para o vitorioso Loyal http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/20/classe-c30-recebe-nova-tripulacao-para-o-vitorioso-loyal/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/20/classe-c30-recebe-nova-tripulacao-para-o-vitorioso-loyal/#respond Mon, 20 Aug 2018 17:06:59 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3916

Loyal: tetracampeão brasileiro e três títulos na Semana de Vela de Ilhabela (Aline Bassi / Balaio de Ideias)

O Loyal se tornou referência da Classe C30 no início da década de 2010 devido às frequentes conquistas na vela oceânica. O barco tem novo comandante: o experiente velejador gaúcho Alexandre Leal, tripulante do Loyal na recém-disputada Semana de Vela de Ilhabela. Leal fez parte da equipe medalha de bronze, comandada por Marcelo Massa.

Tetracampeão brasileiro da C30 e com três títulos da Semana de Vela de Ilhabela, o Loyal contribui de forma decisiva para a evolução da C30, a partir de 2011, consolidando a classe como veloz e versátil para as águas brasileiras. Sempre com Massa no leme, o barco venceu também a tradicional Regata Santos-Rio, ainda mais desafiadora para um barco de 30 pés.

“É realmente muita responsabilidade comandar um barco com o pedigree do Loyal. Estamos planejando para o próximo ano, montarmos uma tripulação forte que nos permita dar continuidade ao legado do barco, competindo no alto nível que a classe demanda”, projeta Leal, o novo comandante do Loyal. “Agradeço ao Massa pela oportunidade. O barco estará sempre à disposição dele”.

Após dois anos afastado das raias, Massa retornou com o Loyal às regatas na Semana de Vela em julho. Mesmo com novos tripulantes, o barco velejou em condições de igualdade com o campeão Caiçara UV.Line e com o vice, Zeus Team, de Florianópolis, ratificando o equilíbrio da Classe C30. A flotilha one design ainda contou com Caballo Loco, eCycle +Realizado, Barracuda e Kaikias em Ilhabela.

“A escolha pela C30 foi feita após avaliarmos as alternativas para adquirirmos um barco de oceano no Brasil. Concluímos que hoje a classe oferece o melhor custo-benefício em termos de modernidade, desempenho e competitividade, além de possuir uma organização muito bem estruturada”, elenca o comandante Leal.

Experiência internacional – Fora do Brasil desde 2007, Leal pretende criar uma base para o barco no Veleiros do Sul, seu clube de origem, em Porto Alegre (RS). “Pretendo retomar o convívio junto aos amigos da vela, conquistados ao longo de anos em competições e velejadas no Rio Guaíba”, deseja o novo timoneiro do Loyal.

O que também contribuiu para que Leal optasse pela C30, foi sua iniciação na vela, sempre com barcos velozes como os catamarãs Hobie Cat e Tornado. A partir da década de 1990 o velejador passou a competir em classes oceânicas como, Delta 32 e Carabelli 32. Há três anos Leal partiu em busca de um aprendizado mais intenso em regatas longas no Caribe e na Europa, inclusive a bordo do VO70 Rússia 1.

“Como ainda não existem outros barcos C30 em Porto Alegre, vamos disputar algumas competições nas classes ORC e IRC”, relata Leal. Até fevereiro de 2019, a intenção do comandante é correr os Circuitos, Cone Sul Seival e Rolex Atlantico Sur, além do Circuito Oceânico Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis, sede dos C30, Katana, Zeus e Corta Vento. O retorno do Loyal a Ilhabela está previsto para 2019.

 

]]>
0
Never giving up http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/07/never-giving-up/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/07/never-giving-up/#respond Tue, 07 Aug 2018 14:37:26 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3909 O Dongfeng Race Team, campeão da Volvo Ocean Race 2017-18, lançou o vídeo oficial da sua inédita conquista.

A equipe chinesa foi a vencedora de uma disputa acirrada, com três barcos disputando o título até a última regata

Charles Caudrelier liderou o grupo, que tinha a brasileira de coração Carolijn Brouwer

Curta o material

]]>
0
Semana de Vela 2019 tem data http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/06/semana-de-vela-2019-tem-data/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/06/semana-de-vela-2019-tem-data/#respond Mon, 06 Aug 2018 14:37:53 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3911 A Semana de Vela de Ilhabela será de 13 a 20 de julho no Yacht Club de Ilhabela (YCI).

O campeonato de 2018 terminou no último sábado (28) com 120 barcos espalhados em oito classes diferentes.

A expectativa para 2019 é aumentar o número para até 150 veleiros.

O grande campeão deste ano foi o Crioula, que além dos títulos Sul-Americano, Ilhabela Cup e da Semana de Vela de Ilhabela (classes IRC e ORC), bateu a marca histórica da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil.

O Torneio por Equipes foi vencido pelo CIZ formado pelo trio San Chico(ORC) Inaê 40 (IRC) e Zeus (RGS).

Foto: Aline Bassi

Os campeões

BDP A – Tranquilo II
BDP B – Cambada 1
Clássicos – Madrugada
HPE25 Geral – Ginga
HPE25 Silver – Espetáculo
C-30 – Caiçara U.V.Line
IRC Geral – Asbar IV
IRC A – Crioula
IRC B – Asbar IV
ORC Geral – Crioula
ORC A – Crioula
ORC B – Mad Max
ORC e IRC – Crioula
RGS Geral – Rainha Empresta Capital
RGS A – Zeus
RGS B – BL3
RGS C – Rainha Empresta Capital
Multicascos – Mente Sã

Sul-Americano – Crioula

Brasileiro de C-30 – Caiçara U.V.Line

]]>
0
Scheidt inicia carreira como técnico com vitória no Mundial da Dinamarca http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/02/scheidt-inicia-carreira-como-tecnico-com-vitoria-no-mundial-da-dinamarca/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/08/02/scheidt-inicia-carreira-como-tecnico-com-vitoria-no-mundial-da-dinamarca/#respond Thu, 02 Aug 2018 21:58:39 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3899

Scheidt e Torben acompanham a regata vencedora de Jorginho Zarif na Dinamarca

Robert Scheidt iniciou a trajetória como treinador da mesma forma como conduziu – e conduz – a carreira como velejador: com vitória. Sob o comando do bicampeão olímpico, Jorge Zarif ganhou a primeira regata da Classe Finn no Campeonato Mundial de Classes Olímpicas. O torneio é classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, e as regatas, que começaram nesta quinta-feira (2), seguem até o dia 12 de agosto, na Baía de Aarhus, na Dinamarca.

Satisfeito com a boa estreia do seu atleta, Robert confia em uma boa campanha na Dinamarca. “Apesar de ser um velejador jovem, é bastante experiente. Já disputou duas olimpíadas e, além do quarto lugar na Rio-2016, título mundial e vitórias em Copa do Mundo, veleja na Finn desde os 16 anos e sabe regular o barco, deixá-lo veloz. A minha função é ajustar pequenos detalhes para que ele suba alguns degraus”, informou ele, que completa. “Estou tentando ajudá-lo a administrar os riscos de uma competição grande como esta, orientando na raia, nos procedimentos antes da largada, na estratégia das regras e, acima de tudo, tentando mantê-lo focado na competição e ao mesmo tempo calmo”.

Em Aarhus, além da luta pela medalha de ouro do Mundial, Zarif busca uma das oito vagas da classe Finn para Jogos de Tóquio-2020. E a disputa promete ser acirrada. Na primeira regata, Jordinho – como é conhecido – terminou empatado com o croata Josip Olujic. Guillaume Boisard (França) e Joan Cardona Mendez (Espanha) aparecem empatados na terceira colocação. Apesar do alto nível da competição, o brasileiro chega com moral alta em função da boa temporada. Após o quinto lugar no Princesa Sofia, em abril, na Espanha, Zarif ganhou as etapas de Hyères (fim de abril) e Marselha (junho), ambas na França, da Copa do Mundo. Em maio, Scheidt fez um treinamento com Zarif no Lago de Garda, na Itália, onde mora.

Confiante na classificação para Tóquio e uma boa participação de Zarif em 2020, Scheidt ainda não definiu se dará sequência as atividades como treinador após o Mundial. “Minha prioridade ainda é velejar. Nesta ano tenho o sul- americano de Star em novembro, no Rio, o SSL Finals, em dezembro, em Nassau, além da vela oceânica na TP52. Desta forma, não tenho temos um plano fixo para depois da Dinamarca, mas se conseguir encaixar, seguirei ajudando. Aceitei o convite do Jorginho porque, além de contribuir para a evolução de um atleta top, posso retribuir para o Brasil e para a vela tudo o que recebi. Quero repassar o conhecimento que acumulei de tantos anos”, completou o maior medalhista do Brasil, com cinco pódios.

A competição – Disputado a cada quatro anos, o Mundial de Classes Olímpicas é o principal evento do calendário da World Sailing (Federação Internacional de Vela). A primeira edição foi realizada em 2003, em Cádiz, na Espanha. A competição reúne as dez classes do programa dos Jogos de Tóquio 2020: RS:X masculina, RS:X feminina, Laser, Laser Radial, Finn, 470 masculina, 470 feminina, 49er, 49er FX e Nacra 17. Além disso, haverá disputa também no kiteboard (feminino e masculino).

Além de Jorge Zarif, os velejadores do Brasil no Mundial de Classes Olímpicas 2018 são Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX), Carlos Robles e Marco Grael (49er), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 feminina), Geison Mendes e Gustavo Thiesen (470 masculina), Henrique Haddad e Felipe Brito (470 masculina), Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (Nacra 17), João Bulhões e Bruna Martinelli (Nacra 17), Patrícia Freitas (RS:X feminina), Brenno Francioli (RS:X masculina), Bruno Fontes, João Pedro Herrlein Souto de Oliveira e Lucas Bueno (Laser), Gabriella Kidd (Laser Radial) e Cláudio Cruz (Kiteboard).

]]>
0
Mês náutico agita Ilhabela e data da Semana de Vela 2019 está definida http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/30/mes-nautico-agita-ilhabela-e-data-da-semana-de-vela-2019-esta-definida/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/30/mes-nautico-agita-ilhabela-e-data-da-semana-de-vela-2019-esta-definida/#respond Mon, 30 Jul 2018 19:48:25 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3894

Semanna de Vela teve 80 regatas

Julho de 2018 entra para a história do turismo e esporte de Ilhabela. Com a 45ª Semana de Monotipos, Boutique Boat Show, 45ª Semana de Vela e o Race Village, o mês náutico ultrapassou as expectativas. Além das competições em alto nível, a cidade recebeu mais de 100 mil visitantes e atingiu a casa dos R$ 150 milhões em faturamento. Empolgados com os bons resultados, os organizadores já definiram a data para a 46ª edição da Semana de Vela de Ilhabela. Será no período de 13 a 20 de julho de 2019.

A 45ª Semana de Vela foi especial em termos de integração terra e mar. Durante cinco dias consecutivos, todas as regatas (incluindo as disputas da Ilhabela Cup) ocorreram no Canal de São Sebastião, diante de moradores e turistas no Race Village e Píer da Vila. Um espetáculo histórico em termos de constância meteorológica – com ventos favoráveis – e também informação esportiva em tempo real.

“Vivemos uma situação que sempre esperamos que acontecesse: ter visibilidade do esporte, aproximar a vela do público com a possibilidade de as pessoas assistirem as regatas. Participo da Semana de Vela de Ilhabela há 35 anos e foi a primeira vez que conseguimos montar as raias no Canal de São Sebastião por cinco dias consecutivos.”, informou Cuca Sodré, presidente da Comissão de Regatas do maior evento náutico da América Latina, que terminou no sábado (28).

Pela primeira vez em 45 anos de história, a Semana de Vela de Ilhabela teve transmissão ao vivo das regatas, com imagens e locução exibidas em dois telões instalados no Race Village, além da possibilidade de acessar pelo Facebook da Secretaria de Esportes, do Turismo e da Prefeitura da cidade. Além dos vídeos, foi possível acompanhar a evolução dos barcos em tempo real por meio de mapas. O serviço teve 47 mil acessos no Brasil e mais doze países.

Tripulação do Crioula comemora o título

Premiação – A festa de premiação da Semana de Vela de Ilhabela foi realizada na noite de sábado (28), no Race Village. O grande campeão foi o barco Crioula, comandado por Eduardo Plass, que também bateu o recorde da regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil – na abertura da competição – e levantou o troféu de campeão sul-americano de ORC, disputado paralelamente.

Na Classe HPE, o Ginga conquistou o pentacampeonato da Semana de Vela. Comandando por Breno Chvaicer e composto por tripulantes de Ilhabela, venceu as sete regatas disputadas em 2018. Já o Caiçara UV.Line, comandado por Marcos de Oliveira Cesar, conquistou o título do Campeonato Brasileiro de C-30, também disputado paralelamente em Ilhabela, e ganhou a classe na Semana de Vela.

Mais eventos esportivos – José Roberto de Jesus, secretário de Esporte e Lazer, ressalta que os números superlativos obtidos no mês náutico reafirmam Ilhabela como a Capital Nacional da Vela. Não por acaso, além da Semana de Monotipos e Semana de Vela 2018, a cidade sediará eventos esportivos de nível nacional e internacional, como os campeonatos brasileiros de Hobie Cat (outubro) e Optimist (janeiro de 2019), além do mundial de Snipe (outubro de 2019).

“Somente na Semana de Monotipos, no início de julho, reunimos 200 barcos, mais de 300 velejadores em 20 classes e fizemos 45 regatas. Na Semana de Vela foram 120 barcos, cerca de 1.000 velejadores, e mais 80 regatas. Isso comprova o potencial para mais eventos esportivos de relevância na cidade”, garantiu.

Race Village montado no centro de Ilhabela

Race Village – Juntamente com as atividades esportivas, para manter tanto turistas como moradores locais integrados e entretidos, o Race Village, instalado no Centro Histórico, recebeu shows variados, com artistas do nível de Os Paralamas do Sucesso e Diogo Nogueira, sete sessões diárias de cinema, além de exposições, passeios e apresentações. Tudo grátis.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, Ricardo Fazzini, para oferecer a estrutura montada nos 5 mil metros quadrados do Race Village e suas atrações, a Prefeitura de Ilhabela investiu R$ 4 milhões. “O aporte se justifica pelos resultados alcançados. Nosso objetivo é fazer bem feito e em alto padrão para mostrar nosso potencial e atrair parceiros, que já estão aparecendo. Vários empresários já entraram em contato interessados em participar do mês náutico de 2019”, avaliou, que além de artistas, trouxe referências no universo náutico como Lars Grael e Amyr Klink para concorridas palestras, entre outros.

]]>
0
Scheidt estreia como técnico de Jorginho Zatif no Mundial da Dinamarca http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/30/scheidt-estreia-como-tecnico-de-jorginho-zatif-no-mundial-da-dinamarca/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/30/scheidt-estreia-como-tecnico-de-jorginho-zatif-no-mundial-da-dinamarca/#respond Mon, 30 Jul 2018 18:14:10 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3874

Scheidt começa uma nova fase da sua carreira vitoriosa

Robert Scheidt não vai competir pela sexta medalha olímpica em Tóquio/2020. Contudo, colabora diretamente para que a vela do Brasil continue frequentando o pódio da maior competição poliesportiva do planeta. Em sua primeira experiência como treinador, vai orientar Jorge Zarif, da Classe Finn, no Campeonato Mundial de Classes Olímpicas. As regatas começam nesta quinta-feira e seguem até o dia 12 de agosto, na Baía de Aarhus, na Dinamarca.

“Espero ser um facilitador desse processo, uma pessoa com experiência para ajudar o Jorginho. Estou muito animado com essa primeira experiência como técnico em uma competição oficial e ainda por cima desse nível. Espero contribuir”, explica Scheidt, que completa. “No período de treinos em Garda (Itália) tentamos identificar alguns pontos da velejada dele os quais considerei haver algum espaço para ganho, possibilidades para evoluir e melhorar. Trabalhei detalhes na parte técnica.”

Jorginho animado com o novo técnico

Mas quem dá a medida da dimensão de ter o bicampeão olímpico em seu staff, um velejador considerado uma lenda, é Zarif. “O Robert técnico é igual ao Robert velejador, e provavelmente igual ao Robert em qualquer profissão ou área da vida: extremamente dedicado, estudioso e meticuloso“, conta.“No primeiro dia de treino que fizemos, ele já tinha visto todas as medals races dos últimos dois anos da classe Finn e visto algumas coisas que eu fazia de diferente dos outros, observado pontos que eu poderia evoluir.”

Em Aarhus, além das medalhas do Mundial, estarão em jogo as primeiras vagas olímpicas da vela para os países nos Jogos de Tóquio-2020. Focado em ajudar Zarif a chegar ao pódio, Scheidt explica como será seu trabalho. “Durante o campeonato, minha função ficará mais focada em identificar as condições da raia. Agora teremos mais dois olhos na raia tentando identificar as condições de cada percurso, as características de cada um. Com isso, espero conseguir que o Jorge tenha um mundial consistente. Vou sempre tentar fazer análises de risco e retorno para cada estratégia de regata e, assim, construir uma média dia a dia“, explica o bicampeão olímpico.

Na parte tática, Robert Scheidt também traçou uma linha de conduta para seu pupilo. “Em um Campeonato Mundial, com essa importância, é imprescindível que o começo seja consistente, evitando grandes erros, pois estes custam muito. Na medida do possível, vamos tentar deixar o descarte mais para frente”, avalia o maior medalhista do Brasil, com cinco pódios, e que tem patrocínio do Banco do Brasil, Rolex e apoio do COB e CBVela.

A competição – Disputado a cada quatro anos, o Mundial de Classes Olímpicas é o principal evento do calendário da World Sailing (Federação Internacional de Vela). A primeira edição foi realizada em 2003, em Cádiz, na Espanha. A competição reúne as dez classes do programa dos Jogos de Tóquio 2020: RS:X masculina, RS:X feminina, Laser, Laser Radial, Finn, 470 masculina, 470 feminina, 49er, 49er FX e Nacra 17. Além disso, haverá disputa também no kiteboard (feminino e masculino).

Além de Jorge Zarif, os velejadores do Brasil no Mundial de Classes Olímpicas 2018 são Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX), Carlos Robles e Marco Grael (49er), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 feminina), Geison Mendes e Gustavo Thiesen (470 masculina), Henrique Haddad e Felipe Brito (470 masculina), Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (Nacra 17), João Bulhões e Bruna Martinelli (Nacra 17), Patrícia Freitas (RS:X feminina), Brenno Francioli (RS:X masculina), Bruno Fontes (Laser), Gabriella Kidd (Laser Radial) e Cláudio Cruz (Kiteboard).

]]>
0
Caiçara UV.Line é bicampeão da C30 na Semana de Vela de Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/29/caicara-uv-line-e-bicampeao-da-c30-na-semana-de-vela-de-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/29/caicara-uv-line-e-bicampeao-da-c30-na-semana-de-vela-de-ilhabela/#respond Sun, 29 Jul 2018 15:17:03 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3890

Tripulação do Caiçara UV.Line vibra na linha de chegada (Edu Grigaitis / Balaio de Ideias)

Caiçara UV.Line é bicampeão da Classe C30 na Semana de Vela de Ilhabela (SVI). Barco do comandante Marcos de Oliveira Cesar manteve a regularidade ao longo de nove regatas e terminou o campeonato neste sábado com mais três provas equilibradas ao norte de Ilhabela, com vento leste entre 8 e 10 nós. Zeus Team, de Florianópolis, ficou em segundo lugar e Loyal Red Nose, em terceiro.

A competição oceânica de 2018 consagrou o Caiçara UV.Line, que na véspera conquistara também o inédito título brasileiro de C30. “As regatas neste último dia foram muito pegadas, com a disputa de 30% do campeonato. Com menos vento, o nível dos adversários cresceu, eles nos deram muito trabalho, mas no fim saiu tudo certo”, comemorou o timoneiro Marcos Cesar.

No dia decisivo, Zeus venceu duas regatas e Caballo Loco obteve uma vitória. Para chegar ao bicampeonato, Caiçara UV.Line obteve três primeiros lugares, mesmo número de vitórias do Zeus. Loyal Red Nose também venceu uma prova, assim como eCycle +Realizado. Kaikias, com tripulação estreante na C30, e Barracuda completaram a flotilha da competitiva classe one design.

A SVI 2018 marcou o retorno do tetracampeão brasileiro Loyal Red Nose, afastado das raias há dois anos. “Largamos escapados na última regata, o que nos prejudicou. Poderia ter sido melhor, mas estamos felizes com o lugar no pódio. Nunca havíamos velejado juntos”, exaltou o comandante ganhador da medalha de bronze, Marcelo Massa.

Mauro Dottori, comandante do Caballo Loco, enalteceu os esforços de Loyal Red Nose por ter retornado a raia e de Zeus Team por ter vindo de Santa Catarina para prestigiar a classe e o evento.”Sei do esforço dos comandantes dos dois barcos. Vieram e velejaram muito bem. Estão de parabéns. Melhor, só no próximo ano”, exclamou Dottori, também diretor de Vela do Yacht Club Ilhabela.

A Classe C30 volta às atividades em setembro, com a terceira etapa do Circuito Ilhabela de Vela Oceânica – Copa Suzuki. O Caiçara UV.Line, atual tricampeão, lidera o campeonato disputado em quatro etapas, de março a dezembro. A novidade nas regatas será a participação da recém-chegada tripulação do Kaikias, comandada por Beto de Jesus, também secretário de Esportes de Ilhabela.

Semana de Vela (9 regatas e 1 descarte)

1 – Caiçara UV.Line (Marcos César): (4)+1+3+1+1+4+3+3+2 = 18 pontos perdidos

2 – Zeus Team (Inácio Vandresen): (5)+4+1+3+3+2+5+1+1 = 20 pp

3 – Loyal Red Nose (Marcelo Massa): 3+3+2+(6)+2+1+4+2+5 = 22 pp

Campeonato Brasileiro (7 regatas e 1 descarte)

1 – Caiçara UV.Line (Marcos Cesar): 1+1+1+3+1+1+(4) = 8 pp

2 – Zeus Team (Inácio Vandresen): 2+(5)+4+1+3+3+2 = 15 pp

3 – Caballo Loco (Mauro Dottori): 3+2+2+(6)+2+6+3 = 18 pp

]]>
0
Ginga é pentacampeão de HPE 25 na Semana de Vela de Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/29/ginga-e-pentacampeao-de-hpe-25-na-semana-de-vela-de-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/29/ginga-e-pentacampeao-de-hpe-25-na-semana-de-vela-de-ilhabela/#respond Sun, 29 Jul 2018 14:25:01 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3887

Tripulação do Ginga comemora o penta em Ilhabela (André Costa / HPE)

A Classe HPE 25 tem um campeão com aproveitamento de 100% na Semana de Vela de Ilhabela. A edição de 2018 ficará marcada pelo retrospecto do campeão Ginga com oito vitórias em oito regatas. Contar com três ilhabelenses exímios conhecedores da raia e dos ventos, comandados pelo paulistano Breno Chvaicer, fez a diferença.   São três títulos consecutivos, além das conquistas de 2013 e 2014. O Bond Girl foi o único a interromper a sequência do Ginga, em 2015.

O Ginga concluiu o campeonato, invicto, sempre cruzando a linha de chegada com relativa vantagem sobre o segundo colocado. Neste sábado (28), último dia de competição, após vencer a sétima regata, poderia voltar para casa com o título antecipado, devido ao descarte previsto em regulamento, mas os bravos tripulantes optaram por permanecer na raia, correr o trajeto barla-sota (entre boias) de cinco milhas e ganhar a regata final no extremo norte de Ilhabela, com vento leste entre 8 e 10 nós.

“Esta Semana de Vela foi muito bonita, com dias de sol e ventos médios. Atribuo o título ao entrosamento da equipe, há muitos anos junta. Procuramos trabalhar a bordo de maneira harmoniosa. Deu certo”, justificou Chvaicer. As palavras do comandante puderam ser constatas na raia. As manobras do Ginga nas montagens de boias são feitas de maneira sincronizada, com a tripulação em silêncio e total sintonia.

Em uma flotilha one design com 16 embarcações, é atípico apenas um barco deter a hegemonia de forma tão ampla. “Não é comum uma tripulação ganhar todas as regatas em uma classe disputada como a HPE 25. As velas novas ajudaram nossa tripulação bem treinada. Vamos comemorar e depois manter os treinos para o Campeonato Brasileiro em novembro no Rio de Janeiro”, afirmou o timoneiro do Ginga, Vicente Monteiro. Ronyon Silva e Gabriel Silva completaram a tripulação.

Os adversários, mesmo experientes, reconheceram a superioridade técnica do Ginga. “A hegemonia do Ginga foi surpreendente. Ficamos em segundo fazendo o melhor possível. Estamos satisfeitos porque eles realmente estão em um nível superior”, considerou o campeão pan-americano de Snipe, Alexandre Paradeda, tático do vice-campeão, Fit to Fly Maserati. Xandi se concentra no segundo semestre na vaga para Os Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, Peru, onde pretende buscar a segunda medalha de ouro.

O terceiro colocado, Take Ashauer, do Iate Clube do Rio de Janeiro, também ficou satisfeito com o desempenho obtido em Ilhabela. “Fizemos regatas de superação, buscando o ajuste ideal das velas novas. No vento leste mais fraco não conseguimos andar muito bem, mas somos uma tripulação amadora”, relatou o tripulante Cássio Ashauer. O barco tem como tático, Demóstenes João, o Netinho, de 18 anos, estudante de direito e formado no Projeto Grael.

Classe HPE 25 na Semana de Vela de Ilhabela (8 regatas e 1 descarte)

1 – Ginga (Breno Chvaicer): (1)+1+1+1+1+1+1+1 = 7 pontos perdidos

2 – Fit to Fly Maserati (Eduardo Mangabeira): 3+3+2+2+(6)+2+2+3 = 17 pp

3 – Take Ashauer (Marcos Ashauer): 2+2+4+(9)+3+8+6+4 = 29 pp

4 – Espetáculo (Luiz Staub): (5)+5+5+5+5+4+3+2 = 29 pp

5 – Conquest ecom (Marco Hidalgo): 4+4+3+3+8+4+(9) = 33 pp

]]>
0
Caiçara UV.Line conquista inédito título brasileiro em Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/28/caicara-uv-line-conquista-inedito-titulo-brasileiro-em-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/28/caicara-uv-line-conquista-inedito-titulo-brasileiro-em-ilhabela/#respond Sat, 28 Jul 2018 14:27:22 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3884

Classe C30 parte para mais uma regata em Ilhabela (Aline Bassi / Balaio de Ideias)

Prevaleceu a regularidade da tripulação do Caiçara UV.Line para que o barco comandado por Marcos de Oliveira Cesar conquistasse o inédito título de campeão brasileiro da Classe C30. Zeus Team, de Florianópolis, e Caballo Loco completaram o pódio. Em 2017 o Caiçara ficou em terceiro lugar, atrás do catarinense campeão, Katana, e do vice, Caballo Loco. A flotilha da C30 conta com sete embarcações one design.

O retrospecto do Caiçara no Brasileiro é inquestionável, com cinco vitórias em sete regatas. Finalizou o campeonato com oito pontos perdidos, contra 15 do Zeus e 18 do Caballo Loco. A festa do Caiçara em Ilhabela pode ser complementada neste sábado (28) com o bicampeonato na Semana de Vela, mas a situação está mais apertada. A vantagem para o Loyal Red Nose após seis regatas e um descarte é de apenas um ponto.

“Ganhar o Brasileiro nos deixa muito felizes, estamos contentes para caramba, mas precisamos manter o foco na Semana de Vela, outro campeonato muito importante. Estamos na briga”, avisou Marcos Cesar. O responsável pela secretaria do Caiçara, Carlos Ney Ribeiro, lembrou dos treinos intensos da tripulação campeã. “É sempre bom sermos reconhecidos pelo trabalho que está sendo aprimorado, mas vamos aguardar porque tem mais regatas”.

Principal rival do Caiçara UV.Line na Semana de Vela, Loyal Red Nose venceu sua primeira regata no campeonato. “O gosto da vitória é sempre bom, motivador. Fizemos segundo e primeiro lugares. Uma largada maravilhosa nos permitiu manter a flotilha sob controle e vencer a segunda regata. Coroou minha volta à água após dois anos. Dificilmente o Caiçara vai perder, mas amanhã será outro dia”, avaliou o comandante e timoneiro do Loyal, Marcelo Massa.

A rivalidade na água, com regatas equilibradas, e a solidariedade entre velejadores é uma característica da Classe C30, constatada nas palavras do comandante do Zeus, Inácio Vandresen. “Deparamo-nos em Ilhabela com uma situação que não esperávamos. A tripulação do Caiçara está muito bem preparada e não erra. O título foi conquistado por mérito. Precisamos treinar muito no Sul para reduzirmos essa superioridade técnica deles”. Na última vinda a Ilhabela, em 2016, o Zeus conquistou o Campeonato Brasileiro e foi vice-campeão da Semana de Vela

Campeonato Brasileiro (7 regatas e 1 descarte)

1 – Caiçara UV.Line (Marcos Cesar): 1+1+1+3+1+1+(4) = 8 pp

2 – Zeus Team (Inácio Vandresen): 2+(5)+4+1+3+3+2 = 15 pp

3 – Caballo Loco (mauro Dottori): 3+2+2+(6)+2+6+3 = 18 pp

Semana de Vela (6 regatas e 1 descarte)

1 – Caiçara UV.Line (Marcos César): (4)+1+3+1+1+4 = 10 pontos perdidos

2 – Loyal Red Nose (Marcelo Massa): 3+3+2+(6)+2+1 = 11 pp

3 – Zeus Team (Inácio Vandresen): (5)+4+1+3+3+2 = 13 pp

]]>
0
Classe HPE 25 tem virtual campeão da Semana de Vela de Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/28/classe-hpe-25-tem-virtual-campeao-da-semana-de-vela-de-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2018/07/28/classe-hpe-25-tem-virtual-campeao-da-semana-de-vela-de-ilhabela/#respond Sat, 28 Jul 2018 14:23:08 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=3880

Largada da Classe HPE 25 em Ilhabela (André Costa / HPE)

A experiência e o entrosamento da tripulação local estão elevando o Ginga a outro patamar na Classe HPE 25. O barco do comandante Breno Chvaiver, único paulistano ao lado de três ilhabelenses, chegou nesta sexta-feira (27) à marca de seis vitórias em seis regatas e precisa apenas de um oitavo lugar entre 16 barcos em uma das duas regatas deste sábado para conquistar o quinto título da Semana de Vela de Ilhabela.

A mudança do vento, de leste para sul, e a queda na intensidade, impediram que fosse dada a segunda largada. Ginga venceu a única regata do dia, seguido por Fit to Fly Maserati, vice-líder do campeonato, e por Mussulo Angola Cables. Com Ginga e Fit to Fly em posições confortáveis, a briga pela medalha de bronze promete emoção. Take Ashauer, Conquest ecom e Espetáculo estão separados por apenas cinco pontos.

“Estamos satisfeitos com nosso desempenho. Eles (Ginga) estão em outro nível. É preciso muito treino para emparelhar com eles. Quem tiver essa ambição vai ter de se dedicar muito. Amanhã (sábado), vamos brigar para manter a segunda colocação, o que será um grande resultado”, considerou o tático do Fit to Fly, Alexandre Paradeda. Em 2017 o barco foi vice-campeão brasileiro e da Semana de Vela, atrás de Phoenix e Ginga, respectivamente, nas duas competições disputadas em Ilhabela

O Espetáculo, do Yacht Club Santo Amaro (YCSA), está surpreendendo pela regularidade, com cinco quintos e um quarto lugares. “Está sendo uma semana muito proveitoso para o aprendizado. É um prazer velejar ao lado do Xandi (Paradeda), da galera do Ginga e de tantos velejadores profissionais. Somos uma tripulação nova na classe e será ótimo se mantivermos o top cinco. Vamos para cima neste sábado”, decidiu o tático do Espetáculo, Nícolas Garcia.

 

Classe HPE 25 na Semana de Vela de Ilhabela

1 – Ginga (Breno Chvaicer): (1)+1+1+1+1+1 = 5 pontos perdidos

2 – Fit to Fly Maserati (Eduardo Mangabeira): 3+3+2+2+(6)+2 = 12 pp

3 – Take Ashauer (Marcos Ashauer): 2+2+4+(9)+3+8 = 19 pp

4 – Conquest ecom (Marco Hidalgo): 4+4+3+3+(8)+7 = 21 pp

5 – Espetáculo (Luiz Staub): (5)+5+5+5+5+4 = 24 pp

]]>
0