Sobre as Águas http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br Informação e opinião sobre vela, náutica, navegação e mar em geral. Mon, 26 Jun 2017 17:48:29 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 New Zealand campeã da America’s Cup http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/26/new-zealand-campea-da-americas-cup/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/26/new-zealand-campea-da-americas-cup/#respond Mon, 26 Jun 2017 17:46:55 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2594 Show do Emirates Team New Zealand nas Bermudas

Depois de perder o título na mão em 2013, os kiwis são os novos detentores da America’s Cup

7 a 1 contra o ORACLE TEAM USA – sem deixar margens à uma nova virada

Desempenho irretocável da tripulação do campeão olímpico Peter Burling com seus catamarãs voadores com pedais!

Agora a regra é deles para 2021!

25/06/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup Bermuda 2017 – America’s Cup Match Presented by Louis Vuitton, Day 4

 

 

 

 

]]>
0
Match point na America’s Cup http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/25/match-point-na-americas-cup/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/25/match-point-na-americas-cup/#respond Sun, 25 Jun 2017 21:19:35 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2591 Está por um….

25/06/2017 – Bermuda (BDA) – 35th America’s Cup 2017 – 35th America’s Cup Match Presented by Louis Vuitton, Day 4

O Emirates Team NZ pode ser campeão da 35ª America’s Cup 2017  amanhã (segunda-feira, 26 de junho de 2017)
O Team New Zealand venceu os dois duelos contra o ORACLE Team USA deste domingo (25) e abriu 6 matchs a 1 na competição. O evento poderia ter sido decidido, mas o ORACLE, que venceu as seletivas e entrou nas finais direto, obrigou os adversários a começarem com -1 no placar.

O que se viu hoje foi um show de largada de Peter Burling e cia! Sucesso das bikes sobre os grinders nos catamarãs voadores.
Mas……SEMPRE TEM UM PORÉM
O resultado é idêntico ao da edição 2013 da America’s Cup, que envolveu as duas equipes. Os norte-americanos viraram o placar nas regatas, que foram disputadas em São Francisco, na Califórnia. Naquela edição, no entanto, estava 8-1.
”Estamos em uma situação difícil agora e tudo o que podemos realmente fazer é pensar uma regata por vez”, disse o norte-americano Spithill.
As regatas são disputas nas Bermudas e transmitidas para o Brasil pela ESPN+ a partir de 14h.
]]>
0
Yacht Club Paulista impulsiona classe HPE 25 em São Paulo e no País http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/yacht-club-paulista-impulsiona-classe-hpe-25-em-sao-paulo-e-no-pais/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/22/yacht-club-paulista-impulsiona-classe-hpe-25-em-sao-paulo-e-no-pais/#respond Thu, 22 Jun 2017 19:17:50 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2585

Barco Takra, do YCP, no Canal de São Sebastião (Marcos Méndez / SailStation)

A introdução da HPE 25 no Yacht Club Paulista (YCP) em 2016, revela a curto prazo o favorecimento para a projeção nacional da versátil e competitiva classe. Sete embarcações vinculadas ao YCP Sailing Team representaram o tradicional clube no Campeonato Brasileiro, de 15 a 18 de junho, em meio à expressiva flotilha composta por 24 tripulações.

Seis barcos em desuso em diferentes clubes náuticos do País foram recuperados e cedidos ao YCP por Eduardo Souza Ramos, timoneiro do Phoenix, campeão brasileiro no último domingo (18) em Ilhabela. Assim a flotilha da represa começou a ser formada e hoje são 14 barcos HPE 25 em atividade na Guarapiranga, incluindo-se os demais clubes.  Além do Phoenix, ainda competiram pelo YCP Sailing Team: Takra, Ubuntu, Pajero, Cabron, Smart e Blue Shark.

O experiente velejador Felipe Furquim, comandante do Pajero no Campeonato Brasileiro, tem participado assiduamente dos eventos da classe no YCP. “Depois de dois anos sem muitas perspectivas, seis barcos foram comprados em todo o Brasil e hoje estão na represa. Parecia impossível, mas conseguimos unir os clubes. O Brasileiro em Ilhabela mostrou que a HPE 25 cresceu e está consolidada”, exaltou Furquim.

Quantidade e qualidade na raia – A flotilha nacional da classe conta atualmente com 58 barcos espalhados por São Paulo, Ilhabela, Rio de Janeiro, Salvador e Florianópolis, já definida como sede do próximo Brasileiro no segundo semestre de 2018. Outros três estão sendo construídos no Rio de Janeiro, o que elevará em breve o número da flotilha de HPE 25 no Brasil para 61 barcos.

“Para quem mora em São Paulo, é muito confortável velejar na Guarapiranga. Foi dessa forma principalmente na época em que a estrada para Ilhabela esteve em reforma, nos últimos anos. O mais legal da classe é que além de velejadores consagrados com participações olímpicas e títulos internacionais, também tem muita gente nova chegando, atraída pela praticidade e emoção que a HPE 25 oferece”, afirma Furquim.

Para o diretor de Vela do Yacht Club Paulista, a chegada da classe à Guarapiranga abre nova perspectiva aos tradicionais velejadores de monotipos. “É ideal para quem deseja uma velejada rápida e tática em um barco híbrido, eficiente tanto no mar quanto na represa. Praticantes das classes Snipe, Laser, or Finn, entre outras, têm disputado regatas na HPE 25”, confirma Alberto Hackerott. “Fabricado no Brasil, o barco acaba sendo mais acessível e competitivo se comparado aos importados de porte semelhante”, finaliza Hackerott.

]]>
0
Campeonato Brasileiro de HPE 25 confirma evolução da classe http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/campeonato-brasileiro-de-hpe-25-confirma-evolucao-da-classe/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/campeonato-brasileiro-de-hpe-25-confirma-evolucao-da-classe/#respond Thu, 22 Jun 2017 00:22:54 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2582

Flotilha de HPE 25 no contravento em Ilhabela (Marcos Méndez / SailStation)

O Campeonato Brasileiro da Classe HPE 25, encerrado neste domingo em Ilhabela, reuniu velejadores das mais variadas classes da vela nacional entre oceano e monotipos. A cidade recebeu 96 tripulantes de 24 embarcações, o que constata aumento de 50% na flotilha em comparação com o último Brasileiro realizado na cidade em 2015 por 16 barcos na Capital Nacional da Vela.

O crescimento na quantidade, reflete-se na qualidade dos velejadores que disputaram oito regatas de elevado nível técnico entre os dias 15 e 18 de junho no Canal de São Sebastião. O inédito campeão Phoenix contou com os velejadores olímpicos Eduardo Souza Ramos e André Fonseca, o Bochecha, com três Regatas Volta ao Mundo no currículo. O vice-campeão Fit to Fly teve no leme o representante brasileiro da classe 470 nos Jogos Rio 2016.

Timoneiro do Phoenix, Souza Ramos vê o Brasileiro em Ilhabela como um indício de um promissor futuro para a classe. “Colocar 24 barcos em Ilhabela é significativo devido à complexa logística em pleno feriado. Contamos com presença maciça dos barcos da Represa Guarapiranga. O pessoal da classe compreendeu a importância do campeonato”, enalteceu o comandante campeão. Apesar da logística, Ilhabela contou com o mesmo número de participantes do Brasileiro de 2016 no Rio de Janeiro.

A flotilha nacional de HPE 25 conta hoje com 58 embarcações e outras três já estão encomendadas e sendo fabricadas no Rio de Janeiro para que a marca de seis dezenas seja superada. Além de São Paulo, Ilhabela e Rio de Janeiro, a classe está chegando a outros polos de destaque para a vela nacional como, Salvador e Florianópolis, escolhida na assembleia de Ilhabela como sede do próximo Campeonato Brasileiro da Classe no segundo semestre de 2018.

Classe democrática – O bicampeão brasileiro da classe Laser, Martin Lowy, estreou em um campeonato de HPE 25, após algumas velejadas na Represa Guarapiranga. “A versatilidade do barco conquistou o velejador paulista. “Essa experiência vai acrescentar muito no meu conhecimento sobre vela. O nível das tripulações é alto e o barco oferece muitas variáveis para se velejar durante as regatas”, afirmou o atleta do Yacht Club Santo Amaro.

Acostumado a velejar de Optimist na Guarapiranga, Ariel Biekarck, de 14 anos, encarou a árdua função de proeiro no Pajero. Não se intimidou com a responsabilidade e sentiu a emoção de correr pela primeira vez um campeonato nacional. “A classe é intensa, com muita adrenalina nas manobras. Fiquei cansado nos dias com três regatas e ainda levei várias broncas a bordo, mas nem me importei com isso. O importante é que me diverti”, assegurou o velejador mais jovem do campeonato.

O diretor da Comissão de Regatas (CR), Cuca Sodré, também ficou empolgado com o desempenho das tripulações. Observou que os barcos estão ficando mais velozes a cada competição. “A classe melhorou nitidamente em seu nível técnico e os barcos estão ganhando velocidade. A troca constante de posições na raia é mais um incentivo para os velejadores, indicando que vale mais a dedicação aos treinos do que uma eventual superioridade no material. Ilhabela mostrou isso”. A classe HPE 25 volta a competir em Ilhabela na 44ª Semana de Vela, de 7 a 15 de julho.

Classificação após oito regatas (um descarte)

1 – Phoenix (Eduardo Souza Ramos): 3+1+(4)+2+3+1+1+3= 14 pontos perdidos

2 – Fit to Fly (Henrique Hadad): 2+4+6+3+2+3+(12)+2 = 22 pp

3 – Dom (Pedro Lodovici): 7+3+7+5+4+4+3+!17) = 33 pp

4 – Ginga (Breno Chvaicer): 11+2+2+1+6+(19)+11+4 = 37+2* = 39 pp

5 – Alhena (Mário Tinoco): 8+11+1+4+7+5+4+(18) = 40 pp

*Ginga teve dois pontos acrescidos por penalidade sofrida na quinta regata

Categoria Silver

1 – Conquest (Marco Hidalgo) – 62 pp

2 – Sururu (Martin Lowy) – 68 pp

3 – Pé de Vento (Vasco Simões) – 88 pp

]]>
0
Legends…Clássicos http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/legends-classicos/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/legends-classicos/#respond Wed, 21 Jun 2017 21:23:55 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2576 A Volvo Ocean Race confirma para o dia 21 de junho de 2018 a regata Legends Race, prova formada por barcos históricos da Volta ao Mundo. O percurso será de Gotemburgo (Suécia) para Haia (Holanda) e contará com veleiros que participaram de edições anteriores.

A tendência de colocar barcos antigos em regatas é mundial. No Brasil, a Semana de Vela de Ilhabela também inseriu a categoria dos Clássicos, que já conta com 12 inscritos para a edição 2017, que será de 7 a 15 de julho no Yacht Club de Ilhabela.

Saiba quais são os barcos confirmados em Ilhabela

PAUL TODD/Volvo Ocean Race

]]>
0
Yacht Club Paulista movimenta Guarapiranga com vela e sup http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/yacht-club-paulista-movimenta-guarapiranga-com-vela-e-sup/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/21/yacht-club-paulista-movimenta-guarapiranga-com-vela-e-sup/#respond Wed, 21 Jun 2017 18:41:10 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2572

Largada da Va’a Sup Cup em São Paulo (Thiago Barra / YCP)

 

A Va’a Sup Cup, organizada pelo Yacht Club Paulista (YCP) e a 6ª Etapa da Copa Paulista de Vela, idealizada pelo YCP, mobilizaram os esportistas de vários clubes náuticos da Represa Guarapiranga no segundo fim de semana de junho. Remadores e velejadores superaram as baixas temperaturas paulistanas e coloriram as raias da represa com suas pranchas, barcos e velas.

A Va’a Sup Cup, o evento mais tradicional de Stand Up Paddle (SUP) da cidade de São Paulo, reuniu cerca de 100 atletas de diversas regiões do estado. O frio, o sol e o vento ameno compuseram o ambiente ideal, tanto na água como em terra firme, devido à estrutura e hospitalidade oferecidas pelo YCP, incluindo-se a tradicional macarronada da dona Tereza, um dos atrativos dos eventos náuticos com sede no YCP, após horas de esforço físico exigido pela água e pelo vento.

“Essa macarronada é um verdadeiro prêmio para os atletas, principalmente para os que remaram 11 km, até a Ilha dos Eucaliptos na categoria elite. O mais importante é que todos se divertiram. Começamos com uma prova de três km para amadores até a Ilha dos Amores e em seguida levamos para a raia a categoria kids, com o objetivo de incentivarmos a nova geração de remadores”, relatou o organizador do evento Tiago Barra, associado do YCP.

A largada principal contou com quase 60 remadores e proporcionou disputa de elevado nível técnico pelas primeiras colocações. Na briga pela ponta na prova masculina, o representante do YCP, Arthur Santacreu ficou com a medalha de prata, logo atrás do vencedor, Guilherme dos Reis, enquanto Guilherme Thawire conquistou o bronze. Marinho e Carlos Viana completaram o pódio. Jessika de Souza, Raquel Daoud e Aline Abad foram as três primeiras, respectivamente, na elite feminina, seguidas por Dani Paiva e Talita Silva.

Copa Paulista de Vela – A sexta etapa da competição criada pelo Yacht Club Paulista em 2015, neste fim de semana foi organizada pelo Clube de Campo São Paulo (CCSP) e levou 53 embarcações à Guarapiranga. A Snipe foi a classe mais numerosa com 18 barcos na raia, seguida pela Laser, com 14 monotipos. Correram ainda as classes Finn, Day Sailer, MT19, Flash e Lightning.

A Copa Paulista tem se mostrado promissora em relação ao futuro da vela. Contou nesta etapa com nove barcos Optimist comandados por crianças e adolescentes. A sétima, das 12 etapas programadas para 2017, está prevista para 24 e 25 de junho, com sede no Iate Clube de Santos (ICS). Além de YCP, CCSP e ICS, o Yacht Club Santo Amaro (YCSA) também recebe a competição nesta temporada.

Resultados Va’a Sup Cup

Categoria Elite (masc.)

1 – Guilherme dos Reis

2 – Arthur Santacreu

3 – Guilherme Thawire

Feminina

1 – Jessika Matos de Souza

2 – Raquel Daoud

3 – Aline B. Abad

]]>
0
Phoenix é campeão brasileiro da classe HPE 25 em Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/20/phoenix-e-campeao-brasileiro-da-classe-hpe-25-em-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/20/phoenix-e-campeao-brasileiro-da-classe-hpe-25-em-ilhabela/#respond Wed, 21 Jun 2017 00:00:18 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2568

Phoenix: título inédito na Capital Nacional da Vela (Marcos Méndez / SailStation)

O 13º Campeonato Brasileiro de HPE 25 consagrou o Phoenix com o inédito e mais relevante título nacional da classe. Em oito regatas disputadas no Canal de São Sebastião, o barco do Yacht Club Paulista (YCP) foi soberano entre os 24 inscritos. Obteve três vitórias e descartou como pior resultado um quarto lugar. Fit to Fly e Dom, ambos de Ilhabela, ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

A tripulação do Phoenix formada por Eduardo Souza Ramos, André Fonseca (Bochecha), Juninho e Jesus e Amauri Gonçalves, comemorou a conquista com os resultados obtidos de quinta-feira a sábado. As duas regatas previstas para domingo foram canceladas devido à falta de vento. Caso as duas regatas fossem realizadas, bastaria ao Phoenix um sétimo lugar para consolidar o título brasileiro.

“Tivemos três dias de muitos acertos e mantivemos a regularidade de não chegar além da quarta posição. Nossos tripulantes velejaram com muita inspiração e mostraram que estavam bem preparados. Em 2016 fomos vice-campeões no Rio de Janeiro”, justificou o comandante Souza Ramos. Neste ano o Phoenix ficou em terceiro no Campeonato Paulista, na Guarapiranga, e em segundo lugar na 2ª Etapa da Copa Suzuki há duas semanas também em Ilhabela.

Os vice-campeões fizeram o máximo possível para aprimorar o desempenho do Fit to Fly, mas comemoraram com intensidade as medalhas de prata conquistadas na Capital Nacional da Vela. “O Phoenix não deu chances para ninguém. Fez um campeonato perfeito, mas nós estamos felizes e certos que nos esforçamos muito”, considerou o timoneiro do Fit to Fly, Henrique Hadad, o Gigante. “Pelo tamanho (oito metros) e número de tripulantes (quatro), a classe HPE 25 é perfeita para se velejar no Brasil”, concluiu Gigante.

Pela primeira vez no pódio do Campeonato Brasileiro de HPE 25, o timoneiro do Dom, Pedro Lodovici, revelou a tática para manter a regularidade e levar a tripulação às medalhas de bronze mesmo sem vencer regata. “Combinamos para competir de forma conservadora, sem preocupação com a vitória, mas se possível chegarmos sempre entre os seis primeiros. Fomos agressivos apenas nas largadas, sempre fundamentais para se manter na frente em uma flotilha com barcos e tripulações tão iguais”, afirmou o comandante do Dom.  O próximo encontro da classe HPE 25 será na Semana de Vela de Ilhabela, de 7 a 15 de julho.

Classificação após oito regatas (um descarte)

1 – Phoenix (Eduardo Souza Ramos): 3+1+(4)+2+3+1+1+3= 14 pontos perdidos

2 – Fit to Fly (Henrique Hadad): 2+4+6+3+2+3+(12)+2 = 22 pp

3 – Dom (Pedro Lodovici): 7+3+7+5+4+4+3+!17) = 33 pp

4 – Ginga (Breno Chvaicer): 11+2+2+1+6+(19)+11+4 = 37+2* = 39 pp

5 – Alhena (Mário Tinoco): 8+11+1+4+7+5+4+(18) = 40 pp

*Ginga teve dois pontos acrescidos por penalidade sofrida na quinta regata

Categoria Silver

1 – Conquest (Marco Hidalgo) – 62 pp

2 – Sururu (Martin Lowy) – 68 pp

3 – Pé de Vento (Vasco Simões ) – 88 pp

]]>
0
Team New Zealand faz 3 a 0 nos EUA http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/18/team-new-zealand-faz-3-a-0-nos-eua/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/18/team-new-zealand-faz-3-a-0-nos-eua/#respond Mon, 19 Jun 2017 00:44:34 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2563 O Emirates Team New Zealand tem ampla vantagem sobre o ORACLE TEAM USA nas finais da America’s Cup, que começaram no sábado (17), nas Bermudas. O barco da Nova Zelândia, que entrou com desvantagem de um ponto nas regatas, venceu todos os duelos contra os norte-americanos até agora e soma 3 a 0. Quem somar sete leva a taça do evento esportivo mais antigo do mundo pra casa. Neste domingo (18), os kiwis se impuseram nas largadas e dominaram praticamente todos os contornos de boia.

O barco a vela da Nova Zelândia entrou com -1, pois o ORACLE TEAM USA, atual bicampeão do evento, teve o melhor desempenho nas eliminatórias da Louis Vuitton America’s Cup, quando seis equipes disputavam. A regra do evento diz que o campeão do campeonato passado escolhe o tipo de barco – nesse caso um catamarã voador, o local das regatas e já vai direto pra final.

A decisão é uma reprise de 2013. Quatro anos atrás, os norte-americanos perdiam por 8 a 1 e viraram o placar, numa das remontadas mais comentadas da histórias de todas as modalidades.

]]>
0
20 dias para Ilhabela http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/15/20-dias-para-ilhabela/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/15/20-dias-para-ilhabela/#respond Fri, 16 Jun 2017 00:21:37 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2560 A regata mais esperada do Brasil está chegando. Faltam 20 dias para a Semana de Vela de Ilhabela 2017. O Yacht Club de Ilhabela organiza tudo, esse ano com apoio da prefeitura. Desde os anos 70, o clube é o organizador das regatas da Semana de Vela de Ilhabela. Segundo o comunicado enviado por sua assessoria de imprensa, os dois (clube e PMI) estão em sintonia.

Olha o que disse o Kalu!

”Depois de oito anos no prestigioso Circuito Internacional Rolex de Vela Oceânica, onde nossas qualificações técnicas e organizacionais foram afinadas e postas a prova, decidimos que era importantíssimo para o desenvolvimento do nosso esporte voltar a envolver a cidade no evento nesse novo patamar. Nos últimos quatro anos temos buscado a parceria com a prefeitura e apoiado ações conjuntas para o envolvimento do público. Este ano esta parceria foi coroada por um trabalho mais próximo entre as equipes do YCI, secretaria de esporte e de turismo e pelo empenho dessa última na organização da race village que permitirá a tão buscada participação do público”, disse disse Carlos Eduardo Souza e Silva, diretor de vela do YCI.

Mais de mil atletas circularam pelas dependências do clube nos sete dias de competição, tendo acesso a uma infraestrutura de qualidade, com uma marina moderna e totalmente segura. Todos os procedimentos, desde atracação dos barcos, montagem das raias até os acessos de atletas, staff e profissionais náuticos são feitos rigorosamente, visando proporcionar uma competição de excelência, além de bons momentos de lazer após as regatas.

As inscrições para a 44ª edição da Semana de Vela de Ilhabela estão abertas no site oficial da regata – www.svilhabela.com.br.

 

 

]]>
0
Novidades na Volvo Ocean Race http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/14/novidades-na-volvo-ocean-race/ http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/2017/06/14/novidades-na-volvo-ocean-race/#respond Wed, 14 Jun 2017 17:52:01 +0000 http://sobreasaguas.blogosfera.uol.com.br/?p=2556 Pessoal,

Duas novidades na Volvo Ocean Race nessa semana! A primeira é a entrada do sexto barco para a temporada 2017-18. E a segunda é o novo ciclo da regata, que passa a ser de dois em dois anos.

Dee Caffari comanda barco 50/50

A velejadora britânica Dee Caffari comandará o “Turn the Tide on Plastic” – uma equipe mista, focada na juventude, com uma forte mensagem de sustentabilidade na Volvo Ocean Race 2017-18.

Agora são seis equipes confirmadas na Volvo Ocean Race 2017-18. São eles: Team Sun Hung Kai/Scallywag (Hong Kong), Team AkzoNobel (Holanda), Dongfeng Race Team (China), MAPFRE (Espanha), Vestas 11th Hour Racing (EUA/Dinamarca) e Turn the Tide on Plastic.

Volvo será de dois em dois anos

As próximas edições da Volta ao Mundo já estão marcadas para os ciclos de 2019-20, 2021-22 e 2023-24. “Um ciclo mais curto significa que podemos encurtar cada edição por alguns meses. O atual formato é de até nove meses. No entanto, vamos para mais mercados agora”, disse Mark Turner, CEO da Volvo Ocean Race. “Ao mesmo tempo, fortaleceremos o DNA da regata, que está sempre no mundo todo e em todos os oceanos, principalmente na Antártida que é seu coração”.

 

]]>
0