PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Mais de 30 duplas de cinco países no Snipe Feminino

Antonio Alonso

16/09/2021 22h47

O Mundial Feminino de Snipe 2021, que será disputado de 5 a 9 de outubro, em São Paulo (SP), já conta com mais de 30 duplas confirmadas de cinco países.

Além do Brasil, atletas de Argentina, Chile, Estados Unidos e Uruguai estarão nas disputas no Yacht Club Paulista (YCP), na Represa do Guarapiranga.

A organização do Mundial exclusivo para mulheres ainda espera inscrições de velejadores de outros países, principalmente da Europa.

A dupla vencedora garantirá vaga na próxima edição do Mundial aberto, ainda sem data definida em função da COVID-19. A competição no Brasil adotará todos os protocolos sanitários exigidos.

Será a sexta edição de Mundial de Snipe que o Brasil sediará. Os outros cinco eventos foram abertos. O último foi em 2019, em Ilhabela (SP).

Nomes como Juliana Duque, campeã em 2016, Adriana Kostiw, velejadora olímpica, Andrea Grael, mãe de Martine Grael e Marco, Isabel Ficker e Laura Zanni – campeãs mundiais de 420 e da norte-americana multi-campeã Kathleen Tocke estarão no start list.

"O evento certamente terá um nível técnico altíssimo com duelo de gerações. Na lista de inscritas temos atletas experientes, medalhistas pan-americanas e campeãs mundiais correndo contra meninas que estão saindo agora do Optimist, classe de introdução à vela", explicou Paola Prada, organizadora do Mundial Feminino de Snipe.

A classe Snipe é uma das mais tradicionais da vela brasileira, com participação de medalhistas olímpicos e pan-americanos, como Torben Grael e Lars Grael. Desde 1994, a categoria tem um mundial exclusivo para mulheres, realizado a cada dois anos.

Antes do evento oficial, o Yacht Club Paulista promoverá regatas-treino, chamada no meio da vela de esquenta com as duplas que já estiverem em São Paulo (SP). "Vamos receber a nata da vela brasileira e mundial no YCP. É um orgulho para o clube, que mantém a tradição da modalidade e busca sempre a formação de novos talentos", contou o comodoro Sergio Canineo.

O Brasil tem uma dupla campeã na história do Snipe Feminino. As baianas Juliana Duque e Amanda Sento Sè venceram a edição de 2016 em Bracciano, na Itália. Nesta edição, a baiana Juliana Duque se juntará à Mila Beckerath.

A primeira edição do Mundial de Snipe Feminino foi realizada em 1994, em Yokohama, no Japão, com vitória de Pauline Book e Carine Juliussen (Noruega). A edição mais recente foi realizada em Newport, nos Estados Unidos, com 32 equipes representando 10 países. As vencedora foram Carol Cronin e Kim Couranz (EUA).

O Mundial de Snipe Feminino tem realização do Yacht Club Paulista e Associação Brasileira da Classe Snipe, com apoio da SCIRA – Snipe Class International Racing Association.

 

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas