PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Vela mundial perde o diretor de regatas Jack Loyd

Antonio Alonso

14/09/2021 17h18

A vela está de luto com a morte na semana passada de Jack Loyd.

Jack Lloyd era um dos oficiais de regras mais experientes e respeitados do mundo e sua posição e reputação abriram portas em todos os níveis do esporte.

Ele foi duas vezes diretor de regata da The Ocean Race (e envolvido em sete edições da prova de volta ao mundo), bem como consultor de regras para várias equipes da America's Cup e da equipe olímpica de vela da Nova Zelândia.

Jack passou toda a sua vida em torno de barcos e transformou sua paixão em seu trabalho, primeiro administrando seu próprio negócio de fabricação de velas na Nova Zelândia por 30 anos, antes de trabalhar como Consultor de Regras para equipes da Copa América

A estreia dele na antiga volvo Ocean Race foi na Whitbread Round the World Race no final em 1997-98.

Depois trabalhou em todas as seis edições da The Ocean Race, antes de voltar para a Nova Zelândia em 2018.

"Enquanto lamentamos sua perda, igualmente, celebramos sua vida e seu tempo conosco", escreveu a The Ocean Race em um comunicado.

"Ele foi um dos cavalheiros mais honrados, moralistas e verdadeiros que já conheci", disse Hamish Willcox, que participou de duas Olimpíadas, duas Copas da América e três campeonatos mundiais de vela juvenil com Lloyd.

"Tinha muita integridade e inspirava confiança nas pessoas.

Lloyd deixa sua esposa, Joss, bem como os dois filhos do casal, Ria e Koby.

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas