PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

C30 define campeão nacional na Semana de Vela

Antonio Alonso

31/07/2021 15h09

A classe Carabelli 30 definiu o campeão brasileiro de 2021 durante a disputa da Semana Internacional de Vela de Ilhabela, no litoral norte paulista. O barco Caballo Loco conquistou pela segunda vez a competição somando os resultados de Ilhabela (SP) com o Circuito Oceânico Ilha de Santa Catarina, realizado em janeiro.

As regatas desta sexta-feira (30) foram as últimas a valer para o campeonato dos C30, uma das classes de monotipos mais ativas da vela brasileira. A categoria faz parte do calendário da Semana de Vela de Ilhabela desde 2012.

A primeira etapa ocorreu de 27 a 30 de janeiro no Iate Clube de Santa Catarina. No Yacht Club de Ilhabela (YCI), as regatas do Brasileiro de C30 foram computadas até a sexta-feira (30). Na Semana de Vela de Ilhabela, a C30 começou em 2013.

O Caballo Loco de Mauro Dottori foi o campeão na somatória dos dois eventos, seguido pelo Kaikias e Katana.

"Tiramos essa vitória do fundo do poço. Quarta-feira foi um dia em que nada deu certo, Um tripulante caiu na água, rasgamos dois balões, nos retiramos. E tivemos a prova de que a classe C-30, se não é a melhor, está no topo. Os comandantes todos abriram mão da última regata, na quarta, por causa do Caballo Loco. Então, já de cara, o meu muito obrigado a todos eles", destacou Mauro Dottori. "Tiramos uma força lá do fundo, e hoje foi um dia excepcional para nós. Ganhamos a primeira regata. Na segunda, só não fomos melhor porque queimamos a largada, mas ficamos em segundo, uma excelente colocação. E ganhamos a última com uma certa distância dos adversários. Juntando com os resultados que tivemos em Florianópolis, isso acabou nos tornando campeões brasileiros."

O comandante ainda destacou a tripulação, como crucial para a vitória. "Isso é tripulação, isso é força. Agradeço muito aos meus tripulantes. Então aos meus tripulantes, o meu muito obrigado. Estamos com a mesma equipe há muitos anos. Mudou apenas uma pessoa, super importante, que é o nosso timoneiro, o Juninho. O Tommy que corre com a gente, não pôde estar conosco nesses últimos tempos por motivos particulares. Mas somos a mesma equipe há muito tempo, e é por isso estamos aqui".

Competitividade na C-30

A classe C-30 é hoje um dos destaques na vela oceânica no Brasil. O barco, um modelo sofisticado de 30 pés, foi projetado por Horácio Carabelli, e a classe nasceu entre São José dos Campos e Ilhabela. Graças à sua grande competitividade, vem ganhando adesão de velejadores por todo o País. Para Mauro Dottori, campeão deste ano, tanto equilíbrio se deve ao rigor em relação aos equipamentos e às regras, mas também à camaradagem entre os comandantes.

"Quando chega um comandante novo a gente procura entrosá-lo, dar força, mostrar a ele quais são os macetes da classe. O que é gostoso nessa classe é a competitividade, e isso se deve realmente a como nós levamos a classe e à qualidade dos nossos comandantes. E óbvio, atraimos muitos tripulantes bons. Essa rotatividade de tripulantes também explica a alternância entre os líderes na classe."

Reta final na Semana de Vela e Ilhabela

Já na disputa da Semana de Vela de Ilhabela 2021, o líder geral é o Kaikias, seguido pelo Caballo Loco e Katana. A diferença entre eles é de três pontos. Neste sábado (31) ocorrem as últimas regatas da tradicional competição.

Campeões da SIVI na C30

2012 – Loyal/TNT
2013 – Loyal Polyjhon
2014 – Zeus Team
2015 – CA. Technologies
2016 – Katana
2017 – Caiçara
2018 – Caiçara UV Line
2019 – Caballo Loco

Foto: Caio Souza

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas