PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Barco PRB quebra ao meio na VD200

Antonio Alonso

02/12/2020 12h12

A Vendée Globe 2020 viveu momentos de tensão nesta terça-feira (1º).

O francês Kevin Escoffier (PRB) foi obrigado a abandonar a volta ao mundo em solitário sem escalas após seu barco partir ao meio.

O velejador foi resgatado pelo outro competidor e compatriota Jean Le Cam (Yes We Cam) depois de passar mais de 11 horas em um bote salva-vidas.

Kevin Escoffier disse que foi forçado a abandonar seu IMOCA depois que uma onda "dobrou o barco em dois" ao largo do Cabo da Boa Esperança, na África do Sul.

"Você vê as imagens de naufrágios? Foi assim, mas pior. Em quatro segundos o barco afundou, a proa dobrou em 90 graus", disse.

Ouça o relato completo — https://www.vendeeglobe.org/en/news/20698/prb-s-rescue-videos-that-tell-the-story

"Abaixei a cabeça na cabine, uma onda estava chegando. Tive tempo de mandar uma mensagem antes que a onda fritasse a parte eletrônica. Foi uma loucura total".

Os organizadores da prova acionaram Jean Le Cam do barcoYes We Cam em uma missão de resgate, sendo o francês o competidor mais próximo do local.

"Eu disse a mim mesmo que ficaria de prontidão e esperaria pela luz do dia. Então pensei que no escuro seria mais fácil ver sua luz", disse  Jean Le Cam.

O próprio Jean Le Cam foi resgatado nesta regata em 2009, depois de passar 16 horas em seu IMOCA virado.

"Assim que vi Jean, tive certeza de que seria salvo", disse Kevin. O resgate não foi feito em condições normais, já que o mar tinha ondas de quase 4 metros.

Leia mais relatos de Kevin Escoffier (PRB)

"Foi surreal o que aconteceu. O barco dobrou em uma onda a 27 nós. Eu ouvi um estalo, mas, honestamente, você não precisava do barulho para entender".

"Eu olhei para o barco, estava em 90°. Em segundos, havia água por toda parte. A popa do barco estava submersa e a proa apontada para o céu".

"O barco se partiu em dois à frente da antepara do mastro. Garanto que não estou exagerando nada … havia um ângulo de 90 ° entre a parte de trás e a frente do barco".

"Não tive tempo de fazer nada. Acabei de enviar uma mensagem para minha equipe: Estou afundando".

"Isto não é uma piada. SOCORRO ". Do momento em que entrei no convés soltando as velas e me encontrei no TPS, não se passaram nem dois minutos. Foi extremamente rápido".

Por Flávio Perez

 

 

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas