PUBLICIDADE
Topo

Robert Scheidt sobre o COVID-19

Antonio Alonso

19/03/2020 10h20

O bicampeão olímpico Robert Scheidt, que mora da Itália, um dos países mais atingidos pela pandemia é um desses atletas. Contudo, mesmo confinado, o velejador não abandona os treinos visando a Olimpíada de Tóquio, marcada para julho.

Mesmo com o risco de cancelamento dos Jogos, segue firme na preparação física e na luta para poder velejar nesse período.

Leia as principais declarações

"Não tenho podido ir para a água porque existe uma proibição quanto a atividades externas. Mas estou tentando viabilizar uma permissão com uma carta do COB (Comitê Olímpico Brasileiro", conta.

"Essa é uma situação sem precedentes na historia mundial e no olimpismo. Provavelmente não teremos mais nenhuma competição até os Jogos e isso coloca todo mundo em um nível de igualdade. Todos chegarão sem ritmo de regata. Ao mesmo tempo, isso é uma oportunidade para quem souber aproveitar bem esse período para se preparar da melhor forma possível. É o que estou fazendo, tocando em frente".

"Em termos globais, tudo isso é muito ruim. E no esporte não é diferente, mas é uma situação que não posso controlar. Assim, sigo na luta para fazer o máximo possível, com treinos físicos em casa, adaptando o que posso para manter o condicionamento, tônus muscular, força e flexibilidade".

"Vou ficar na Itália com a minha família. Nem um retorno ao Brasil é cogitado, pois existe o risco de não conseguir voltar, sem falar na necessidades de quarentena", completa.

 

 

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas