PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Classe C30 abre temporada com chuva, calmaria e rajadas de 25 nós em Jurerê

Antonio Alonso

07/02/2020 12h01

Kaikias Maserati sai na frente em Florianópolis (Fábio Aranda / ICSC)

O 31º Circuito Oceânico Ilha de Santa Catarina começou com adrenalina máxima para a Classe C30, maior flotilha one design da competição com sete embarcações. Após 6h18m19 de regata, o atual campeão brasileiro e do circuito, Kaikias Maserati, de Ilhabela, chegou apenas 27 segundos à frente do Caballo Loco, também do litoral norte paulista, com Loyalty, de Porto Alegre, em terceiro lugar.

A tarde de quinta-feira (06), tornou-se dramática para as tripulações diante das variáveis meteorológicas. A largada para a regata de percurso com 42 milhas (70 km) foi dada sob vento nordeste de 20 nós (35 km/h) com rajadas que ultrapassaram os 25 na raia de Jurerê, sede oceânica do Veleiros da Ilha. O circuito vale como primeira etapa do Campeonato Brasileiro da Classe C30.

Em meio à tempestade, Kaikias Maserati fez uma regata de recuperação para iniciar a defesa do título. "O dia foi difícil, exigiu o máximo das tripulações. O vento variou muito de direção e de intensidade, foi de 20 nós à calmaria, além da chuva constante. Chegamos a andar em último depois da largada, mas trocamos uma das velas e contamos com a entrada de um vento mais fraco para alcançarmos e ultrapassarmos os adversários", relatou o timoneiro do Kaikias, Beto de Jesus.

A experiência da tripulação de Ilhabela, que também contou com a "sorte", prevaleceu para superar as condições adversas. "Depois que assumimos a ponta, mantivemos a liderança até a chegada. A concentração dos tripulantes foi fundamental e ainda contamos com a ajuda de Deus que mandou um ventinho especial para nós cruzarmos na frente. Estamos muito felizes em Florianópolis, competindo em uma raia espetacular entre tripulações de elevado nível técnico", completou Beto.

Força do Sul – Quem acompanhou de perto o duelo final entre Kaikias Maserati e Caballo Loco, foi a tripulação gaúcha do Loyalty (ex-Loyal, tetracampeão brasileiro). "O vento irregular em uma prova de percurso longo, torna a regata muito desgastante. Nosso barco está rápido, com tripulantes bem preparados. A Classe C30 mostrou que está muito competitiva. Vamos seguir em frente e brigar por uma boa colocação", afirmou o comandante do Loyalty, Alexandre Leal, depois de batalhar com os catarinenses Zeus Team e Katana Portobello.

O Circuito Ilha de Santa Catarina, com 30 barcos, segue até domingo (09) com previsão de mais cinco regatas e um descarte para a Classe C30. Provavelmente, quatro barla-sotas e uma de percurso médio. As demais classes tiveram os seguintes vencedores na regata de abertura: Crioula (IRC), Catuana Kim (ORC), Arretado (HPE), Pangea (RGS), Blade Runner (RGS Cruzeiro) e Gratidão (Bico de Proa).

Classe C30 na regata de percurso (06/02)

1 – Kaikias Maserati (Eduardo Mangabeira) – 6h18m19
2 – Caballo Loco (Mauro Dottori) – 6h18m46
3 – Loyalty (Alexandre Leal) – 6h22m10
4 – Zeus Team (Inácio Vandresen) – 6h22m34
5 – Katana Portobello (Cesar Gomes Neto) – 6h22m52
6 – Corta Vento (Carlos Augusto de Matos) – 6h24m28
7 – Le Terrible (Frederico Didone) – 7h47m22

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas