PUBLICIDADE
Topo

Le Terrible é a novidade da Classe C30 na vela oceânica em Florianópolis

Antonio Alonso

24/01/2020 14h32

Le Terrible (ex-Barracuda) em Ilhabela (Aline Bassi / Balaio de Ideias)

O Circuito Oceânico Ilha de Santa Catarina abrirá em fevereiro a temporada de 2020 para a Classe C30, que se fortalece em Florianópolis com a transferência do ex-Barracuda (05), agora Le Terrible, de Ilhabela (SP) para o Iate Clube de Santa Catarina (ICSC), o Veleiros da Ilha. Após o Circuito Ilhabela de Vela Oceânica – Copa Suzuki de 2019, o comandante Frederico Didone, de Florianópolis, adquiriu a embarcação.

A flotilha catarinense, que já contava com Zeus, Katana Portobello e Corta Vento, passa a ter quatro barcos, a exemplo de Ilhabela com Caballo Loco, Kaikias Maserati, Caiçara e eCycle +Realizado. A nona embarcação da Classe C30, o Loyalty, é filiado ao Veleiros do Sul, em Porto Alegre. Exceções a Caiçara e +Realizado, os demais devem correr o circuito catarinense com sede no ICSC em Jurerê, de 06 a 09 de fevereiro.

Estreante na classe, o comandante vive a expectativa de um antigo sonho. "O que me motivou a ingressar na classe é o fato de a C30 aqui em Florianópolis possuir uma das maiores flotilhas do País. Estou dando um passo maior na vela, realizando um sonho de consumo", enfatiza Didone, há dez anos no comando do Neo 25 Caos Calmo, na maioria das velejadas como tripulante solitário da embarcação.

"Para o Circuito de Santa Catarina, estamos montando uma equipe bem jovem com sete tripulantes, inclusive minha namorada, Rafaela, cuidará dos runners (estais volantes). Corri apenas uma regata na Classe C30, com o Zeus, e foi emocionante. Em 2019, com cinco tripulantes, corremos pela primeira vez a Semana de Vela de Ilhabela com o Caos Calmo", relata Didone sobre suas experiências em provas oceânicas.

Entusiasmo e aprendizado – Apesar da ansiedade para ter nas mãos pela primeira vez em regata um veloz e competitivo C30, o comandante está consciente da situação. "Vamos entrar na raia para aprender. Ainda estamos conhecendo o barco e cientes de que se trata de uma estreia. Claro que existe uma empolgação, mas a participação será bem mais importante do que o resultado", pondera Didone, o novo timoneiro do Le Terrible.

Em fevereiro de 2019, Kaikias Maserati venceu de forma inédita o Circuito de Santa Catarina. Em julho, o barco de Ilhabela conquistaria também seu primeiro título brasileiro na classe. O Caballo Loco, quinto colocado em Florianópolis em 2019, ganhou em seguida, pela primeira vez, a tradicional Semana de Vela de Ihabela. Ambos estarão novamente neste ano na raia de Jurerê para desafiar as embarcações da Classe C30 do Sul do País.

Classificação da C30 no Circuito do ICSC de 2019 

1– Kaikias Maserati (Eduardo Mangabeira)

2 – Katana Potobello (Cesar Gomes Neto)

3 – Zeus Sailing Team (Inácio Vandresen)

4 – Loyalty (Alexandre Leal)

5 – Caballo Loco (Mauro Dottori)

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas