Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Abertura do Mundial de Snipe

Antonio Alonso

08/10/2019 16h54

Dia feio, com chuva e pouco vento em Ilhabela.

Mesmo assim teve uma regata para os 70 barcos de 11 países do evento.

Vitória texana de Asher Zittrer e Watt Duffy.

Os favoritos brasileiros como Xandy Paradeda e Bruno Bethlen foram mal.

Aqui ficamos com o release da On Board, agência oficial do Mundial de Snipe 2019.

2019 Snipe Worlds
© Matias Capizzano / SCIRA

O Mundial de Snipe 2019 começou nesta terça-feira (8) com 70 barcos de 11 países. A principal competição categoria é disputada na Escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela (SP), e terá ao todo nove regatas com dois descartes.

A primeira foi disputada no Canal de São Sebastião, mais perto do continente, com média de 8 nós de vento soprando na direção sul.

O vencedor da única prova do dia foi o barco norte-americano formado por Asher Zittrer e Watt Duffy. A dupla ultrapassou os japoneses Naoki Inoue e Matasuzaki na última manobra e garantiu o resultado quase ao cruzar a linha de chegada. Logo atrás dos asiáticos, em terceiro, finalizaram os brasileiros Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewski.

"O segredo da vitória foi o Asher [Zittrer]. É um velejador que treina muito e faz parecer fácil as coisas. Mas não são fáceis. Nossa comunicação a bordo foi ótima", contou Watt Duffy.

Com apenas 18 anos, Asher Zittrer é um dos velejadores mais novos da competição internacional em Ilhabela (SP). Perguntado sobre o que esperar das próximas regatas, o jovem atleta texano disse que é preciso ter sorte como a de hoje.

Os Estados Unidos contam com dez equipe em Ilhabela (SP) e, para melhorar o desempenho do grupo, a delegação contratou dois treinadores: o argentino Leandro Spina e o brasileiro Juan de la Fuente, que conhece bem a raia com anos de experiências em regatas locais.

"Tentamos ajudar com algumas informações da ilha. Deu certo e eles se saíram muito bem na regata de estreia", explicou Juan de La Fuente.

Resultados completos em https://2019.snipeworlds.org/

Em número de barcos, Brasil lidera com 24 barcos inscritos! A Argentina vem logo atrás com 12, seguida por Espanha, Estados Unidos e Japão. Os melhores brasileiros na primeira regata do Mundial de snipe 2019 foram Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewski, com o terceiro lugar.

"Foi uma regata bem difícil. Essa condição de sul já é difícil com vento constante, quanto mais com intensidade fraca. É preciso estar preparado e contar também com a sorte", contou Rafael Gagliotti.

O proeiro Henrique Wisniewski reforçou que a dupla soube tomar boas decisões na regata, andando bem principalmente no vento de popa. "O primeiro passo é conseguir largar numa regata com tantos barcos, o que é difícil. Agora esperar ventos melhores para o decorrer do campeonato".

A comissão de regatas deve fazer até três provas nesta quarta-feira (9), mas a previsão para o litoral norte de São Paulo é de chuva durante o dia.

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas