Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Lima 2019: Martine será porta-bandeira

Antonio Alonso

23/07/2019 22h58

Campeã olímpica e mundial na vela, pela classe 49er FX, a velejadora Martine Grael será a porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de 2019, que será em Lima, no Peru.

A festa será nesta sexta-feira (26), no Estádio Nacional de Lima, capital do país sul-americano.

O COB, Comitê Olímpico Brasileiro, informou que a divulgação oficial do posto dado a Martine será realizada na quinta-feira (25), na Vila do Pan.

A velejadora será a primeira mulher da história do esporte brasileiro que levará a bandeira nacional em uma cerimônia de Jogos Pan-Americanos.

Foram 18 edições consecutivas com somente atletas do sexo masculino tendo esse posto.

Filha de Torben Grael, Martine nasceu em Niterói (RJ), e começou sua vida na vela aos quatro anos.

Martine e a sua parceira Kunze Kunze foram campeãs mundiais em 2014, na Espanha, e medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

A conquista fez com que Torben e Martine se tornassem os únicos pai e filha campeões olímpicos na história do esporte brasileiro.

Como conquistas pessoais, Martine foi eleita a melhor velejadora do mundo, em 2014, pela Federação Internacional da Vela. Além disso, a atleta, também, participou, no ano passado, da edição da The Ocean Race, a regata de volta ao mundo.

Em Toronto 2015, o porta-bandeira foi o nadador Thiago Pereira, maior medalhista da história dos Jogos.

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.