Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Não teve Alcatrazes, mas rolou regata

Antonio Alonso

14/07/2019 19h32

Quem foi para o Yacht Club de Ilhabela preparado para uma regata de horas e horas com pouco vento se surpreendeu!

A abertura da Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2019 era pra ser a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil.

Como não tinha vento, a organização fez a prova de estreia teve 12 milhas náuticas para as classes ORC, IRC e C30, com largada na frente do Race Village até o Farolete 4.

Entrou um sulzinho maneiro e deu até pra subir o balão no popa na perna de volta!

Para as demais categorias, a regata de abertura teve 8 milhas náuticas até o Farol dos Moleques.

A comissão de regatas definiu que a prova desta segunda-feira (15) será de percurso longo, podendo ser até a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil ou para a ilha de Búzios.

A previsão é de ventos de média intensidade. Também está prevista uma frente fria para a terça-feira (16).

"Nós tivemos muita sorte, mas o Cuca Sodré (comissão de regatas) como sempre está de parabéns. Havia uma previsão de que o vento talvez viesse do sul, e ele soube esperar. Quando o vento começou a soprar, decidiu não fazer a regata longa, porque senão os barcos demorariam muito a voltar, pelo horário da largada", destacou Mauro Dottori, organizador da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

Em função do adiamento da Alcatrazes, a Semana Internacional de Vela de Ilhabela vai trocar a data da realização da regata Vela do Amanhã.

 

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.