Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Deficientes visuais na vela

Antonio Alonso

09/07/2019 17h21

Hoje escrevo do Sailing Sense, um projeto bacana do Miguel Olio.

Já imaginou dar a chance a um deficiente visual de comandar um barco?

Pois é isso que vai rolar na Semana internacional de Vela de Ilhabela, que começa em 13 de julho.

O projeto vai utilizar o barco Mixuruca (Fast 23) nas regatas e disputará o título da RGS.

Mas o título mesmo ficará pra sempre na memória de Marina e Eduardo.  Com cegueira total, Marina Castelani será a skipper do Mixuruca ao lado de seu colega Eduardo Francisco da Silva. A modalidade chegou na vida da velejadora após uma ação da Fundação Dorina Nowill e não saiu mais.

"As dificuldades, é claro, são grandes. Nós velejamos pelo som e pela percepção. Temos um outro tipo de visão. Mas com ajuda e apoio do Miguel e da Iris a gente consegue. Isso torna a velejada mais fácil. Eu não tenho medo! O barco à vela é muito seguro, por isso queremos mostrar para outros deficientes que podemos chegar lá. Podemos fazer muitas coisas! Eu velejo, faço curso de computação avançada e quero fazer direito ano que vem. A vela me trouxe isso", explicou Marina Castelani, de 51 anos.

"Eu imagino e sinto tudo aquilo que estou passando. Velejar nos dá liberdade e uma alegria muito grande. Eu sou pessoa normal, apenas não enxergo".

Acessibilidade para deficientes visuais e outros

O projeto Sailing Sense, em atividade desde 2007, tem o objetivo de ensinar a vela para pessoas que não teriam acesso à prática da modalidade, incluindo as deficiências como surdocegueira, múltiplas sensoriais, autismo, surdez, cegueira e síndrome de Down.

"Nosso objetivo não é ir para as cabeças esse ano! Já será um grande passo andar junto com os outros competidores. Nós tivemos muitos treinos para afinar o sincronismo da equipe, mas não vamos para fechar a raia. Queremos completar o campeonato da melhor maneira possível", disse Miguel Olio, idealizador do Sailing Sense.

Entre os dias 12 e 15, a equipe fará a vivência com os moradores de São Sebastião e Ilhabela. O SEPEDI de São Sebastião e Secretaria de Esportes da Ilhabela vão organizar as atividades.

Sailing Sense

O Sailing Sense é um projeto brasileiro, idealizado pelo presidente Miguel Olio que em 2007, unindo seus conhecimentos como educador físico e sua paixão e experiência na vela, começou a promover, de forma gratuita, vivências náuticas para as pessoas com deficiência.

Os deficientes conduzem as embarcações, são responsáveis tanto pelo leme, dando direção ao veleiro, quanto pelos cabos e velas.  As atividades já ocorreram em várias cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

O projeto está inserido no Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONDECA), que tem como objetivo elaborar as políticas de atendimento a este público.

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.