Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

PBO

Antonio Alonso

21/12/2018 00h05

Nesta semana, o Comitê Olímpico Brasileiro realizou o tradicional PBO – Prêmio Brasil Olímpico.

E o colega Flávio Perez, media manager da Ocean Race e da Transat Jacques Vabre esteve por lá.

Assim escreveu para o seu blog no jornal DIARINHO!

Representantes de todas as modalidades praticadas no País se reuniram na festa ocorrida no Teatro Bradesco.

A vela teve muitas referências na noite de gala, com Hall da Fama para Torben Grael, escolha da dupla Martine e Kahena como as melhores da modalidade e presença de outros grandes nomes do nosso esporte.

Vela é sinônimo de medalhas para o olimpismo brasileiro!

A escolha de Martine Grael e Kahena Kunze foi merecida, principalmente após a rápida retomada da dupla que ficou um ano parada em função da campanha de Volvo Ocean Race da timoneira herdeira dos Grael.

Outros poderiam estar nessa lista:

Com títulos da Semana de Vela de Ilhabela e vaga para o Brasil na Nacra em Tóquio-2020, Samuel Albrecht e sua parceria Gabriela Nicolino também merecem nossa referência.

Campeão mundial de Star, Jorge Zarif fechou 2018 com o título da SSL nas Bahamas.

Mas a façanha de Martine na Volvo Ocean Race teve um peso enorme nessa escolha técnica!

No PBO, Torben Grael deixou suas mãos estampadas e entrou para o Hall da Fama. Estava ao lado de Jackie e Sandra, do vôlei de praia e Vanderlei, da maratona.

Torben é o maior medalhista olímpico do País ao lado de Robert Schedit.

Lars Grael também esteve presente na cerimônia! Ele e seu irmão foram recordados nas retrospectivas olímpicas no show.

O mais importante é que a vela sempre está nas paradas de sucesso do esporte brasileiro!

Os vencedores de cada modalidade

Atletismo: Darlan Romani
Badminton: Ygor Coelho
Basquete: Yago Mateus
Basquete 3×3: Luiz Felipe Soriani
Beisebol: Felipe Burin
Boxe: Beatriz Ferreira
Canoagem Slalom: Ana Sátila
Canoagem Velocidade: Isaquias Queiroz
Ciclismo BMX (Freestyle): Leandro Neto
Ciclismo BMX (Racing): Anderson Ezequiel de Souza Filho (Andinho)
Ciclismo Estrada: Vinicius Rangel Costa
Ciclismo Mountain Bike: Henrique Avancini
Ciclismo Pista: Kacio Fonseca da Silva Freitas
Desportos na Neve: Jaqueline Mourão
Desportos no Gelo: Isadora Williams
Escalada Esportiva: Thais Makino Shiraiwa
Esgrima: Alexandre Camargo
Futebol: Marta Silva
Ginástica Artística: Arthur Zanetti
Ginástica Trampolim: Camilla Gomes
Ginástica Rítmica: Natália Gaudio
Golfe: Luiza Altmann
Handebol: Eduarda Amorim
Hipismo adestramento: João Victor Oliva
Hipismo CCE: Márcio Carvalho Jorge
Hipismo saltos: Pedro Veniss
Hóquei sobre grama: Rodrigo Faustino
Judô: Érika Miranda
Karatê: Vinicius Figueira
Levantamento de pesos: Fernando Saraiva Reis
Maratona Aquática: Ana Marcela Cunha
Nado Artístico: Maria Clara Lobo
Natação: Revezamento (Pedro Spajari /Gabriel Santos/Marcelo Chierighini/Marco Antonio Ferreira Junior)
Pentatlo moderno: Maria Iêda Guimarães
Polo Aquático: Gustavo Guimarães
Remo: Uncas Tales Batista
Rugby: Bianca dos Santos Silva
Saltos Ornamentais: Ingrid de Oliveira
Skate: Pedro Barros
Softbol: Fernanda Ayumi Missaki
Surfe: Gabriel Medina
Taekwondo: Edival Pontes (Netinho)
Tênis: Marcelo Melo
Tênis de mesa: Hugo Calderano
Tiro com arco: Marcus Vinícius D´Almeida
Tiro esportivo: Julio Almeida
Triatlo: Manoel Messias
Vela: Martine Grael e Kahena Kunze
Vôlei: Douglas Souza
Vôlei de praia: Agatha Bednarczuk / Duda Lisboa
Até a próxima

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.