PUBLICIDADE
Topo

Sobre as Águas

Scheidt e Maguila levam o Brasil às finais da Star Sailors League em Nassau

Antonio Alonso

03/12/2016 10h41

Dupla brasileira em busca do vento na Baía de Mantagu (Martinez Studio / SSL)

Dupla brasileira em busca do vento na Baía de Mantagu (Martinez Studio / SSL)

O bicampeão olímpico Robert Scheidt, ao lado de Henry Boening (Maguila), é o único representante brasileiro na fase decisiva da Star Sailors League Finals nas Bahamas. Passaram na terceira colocação entre 25 duplas e têm de disputar as quartas de final neste sábado (2) a partir das 14h de Brasília com transmissão ao vivo e gratuita no site: final.starsailors.com. Os líderes Negri e Lambertenghi (ITA) garantiram vaga na final, enquanto os vice-líderes Mendelblat e Fatih (EUA) entram direto na semifinal.

A falta de vento forçou o atraso nas regatas do último dia de qualificação das dez equipes para as finais deste sábado. Croácia, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda do Norte e Polónia, também terão representantes nas regatas eliminatórias. Vencedor da primeira edição da SSL Finals em Nassau, Scheidt alcançou seu primeiro objetivo. "Seria interessante ter ficado em segundo lugar para avançar direto à semifinal, mas o que vale é estar entre os dez e seguir passando de fase", avaliou o ganhador de cinco medalhas olímpicas. Torben e Madá, Zarif e Prada não passaram da primeira fase.

O proeiro italiano Sergio Lambertenghi espera pelo inédito pódio em um evento da SSL. "Fomos os melhores na fase de qualificação. Vamos manter o foco e fazer um trabalho ainda mais eficiente neste sábado. Estou muito feliz por seguir direto para a final. Já ficamos em quarto lugar em edições anteriores. Chegou o momento de fazermos nosso melhor resultado em Nassau", garantiu Lambertenghi.

O campeão olímpico da classe 470 nos Jogos Rio 2016, Sime Fantela, da Croácia e o proeiro Antonio Arapovic venceram as duas regatas desta sexta-feira, alcançando a quarta colocação geral. "Viemos para aprender e todos os dias estamos indo para a frente. Hoje (sexta) o vento estava leve como ontem e mesmo assim soubemos manter a velocidade do barco. É bom saber que podemos brigar com Scheidt, Negri e Rohart (FRA). Apesar desses caras, já vencemos três regatas", enaltece Fantela.

Última vaga no sufoco – A 11ª e última regata da classificação foi dramática para as duas duplas que concorriam pela décima vaga. O medalhista de prata olímpico na Laser nos Jogos do Rio, Tonci Stipanovic (CRO) e seu compatriota Ante Sitic marcaram oitavo lugar. O campeão mundial de Star, Augie Diaz (EUA), ao lado de Arnie Baltins, foi 13º colocado. Ambas as equipes somaram 108 pontos, mas Stipanovic e Sitic ficaram com a última vaga em virtude de um segundo contra um terceiro lugar dos norte-americanos no critério de desempate.

Os três últimos campeões da SSL Finals estão classificados para brigar pelo título neste ano. Scheidt ganhou com Bruno Parada em 2013 e agora corre com Maguila. Mark Mendleblatt e Brian Fatih (EUA) mantiveram a dupla vencedora de 2014, assim como George Szabo (EUA) e Eduardo Natucci (ITA), medalha de ouro em 2015.

Vela ao vivo na internet – As regatas decisivas deste sábado começam pelas quartas de final às 14h de Brasília, com transmissão ao vivo no finals.starsailors.com . As cinco primeiras equipes seguem à semifinal juntando-se a Mendelblat e Fatih. Em seguida, os três primeiros disputam a final com Negri e Lambertenghi para a definição de ouro, prata e bronze. A premiação geral do campeonato é de 200 mil dólares e os campeões somam pontuação máxima (4.000 pontos) no ranking da SSL.

A SSL Finals transmite as regatas ao vivo, na íntegra, pela Internet com comentários de especialistas e convidados especiais, incluindo Dennis Conner, quatro vezes vencedor da America's Cup. Na água, a mais recente tecnologia em câmera de alta definição, bem como o Virtual Eye 3D, garantem emoção e completa visualização da raia aos fãs da vela. Em 2015, as transmissões diretamente de Nassau atingiram 100 mil acessos de audiência.

Classificação após 11 regatas (um descarte)

1. Negri/Lambertenghi (ITA) – 43 pontos perdidos
2. Mendelblat/Fatih (USA) – 45 pp
3. Scheidt/Maguila (BRA) – 51 pp
4. Fantela/Arapovic (CRO) – 76 pp
5. Rohart/Ponsot (FRA) – 85 pp
6. Kuznierewicz/Zycki (POL) – 94 pp
7. Polgar/Koy (ALE) – 105 pp
8. Christensen/Milrie (DEN) – 106 pp
9. Szabo (EUA)/Natucci (ITA) – 106 pp
10. Stipanovic/Sitic (CRO) – 108 pp
18. Torben/Guilherme (BRA) – 146 pp
21. Zarif/Prada (BRA) – 167 pp

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.

Blog Sobre as Águas