Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Classe C30: empate após cinco regatas em Ilhabela

Antonio Alonso

18/09/2017 14h48

Caballo Loco (05), Barracuda (01) e Kaikias (03) em Ilhabela (Aline Bassi / Balaio de Ideias)

Em disputa emocionante na sempre equilibrada classe C30, os barcos Caiçara e Caballo Loco finalizaram o primeiro fim de semana da 3ª Etapa da Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de vela oceânica, com campanhas idênticas: sete pontos perdidos após cinco regatas, duas vitórias e o descarte de um terceiro lugar. A penúltima etapa de 2017 será concluída no próximo fim de semana (23 e 24/9) com sede no Yacht Club de Ilhabela.

O líder da temporada, Caiçara, recuperou-se no domingo (17) com duas vitórias em duas regatas na Ponta das Canas, aproveitando o vento leste entre seis e dez nós (10 a 18 km/h). O atual campeão brasileiro de C30, Katana Portobello, convidado especial de Florianópolis, está em terceiro lugar na etapa, seguido por eCycle +Realizado, Barracuda e Kaikias.

O comandante do Caiçara, Marcos Cesar, ratificou as disputadas acirradas proporcionadas pela classe ao norte do Canal de São Sebastião. "No sábado (16) largamos escapado na primeira regata, assim como o Katana. O Caballo Loco venceu após duelo com o +Realizado. O Caballo também venceu a segunda prova, muito equilibrada. Na terceira deu Katana, com menos de um metro de vantagem sobre o Caiçara".  O vento leste variou entre 10 e 14 nós.

"Domingo, a intensidade do vento diminuiu um pouco e contrariando a condição habitual, favoreceu quem deu o bordo para o mar aberto, e não quem pegou o rumo de Ilhabela. A tripulação do Caiçara soube aproveitar essa situação para vencer as duas regatas. Na segunda, o Caballo Loco largou na nossa frente, mas conseguimos ultrapassar e garantir a liderança até o final", relatou Marcos Cesar.

Superação a bordo – Em uma classe com barcos velozes e tripulações experientes, como a C30, a regularidade e os acertos a bordo são indispensáveis para se obter desempenho vitorioso. É o que ratifica o trimmer do +Realizado, Ricardo Apud. "Foram dois dias muito intensos, em que variamos muito nossa velejada e não mantivemos constância. Tivemos duas chegadas muito próximas ao Caballo Loco. É difícil perder dessa forma, sabendo que poderíamos vencer".

No domingo a tripulação do +Realizado enfrentou imprevistos com os equipamentos. "Tivemos um problema com a adriça da genoa (cabo que sustenta a vela de proa) e não pudemos baixar a vela, o que seria crucial para melhorar o rendimento no vento mais fraco. Isso prejudicou muito nossas manobras e infelizmente ficamos limitados devido à avaria. Ficará para o próximo fim de semana. Vamos reparar e nos recuperaremos", afirmou Ricardo Apud, com entusiasmo.

Classificação parcial da 3ª Etapa da Copa Suzuki 

1 – Caiçara (Marcos de Oliveira Cesar): (3)+3+2+1+1 = 7 pontos perdidos
2 – Caballo Loco (Mauro Dottori): 1+1+(3)+2+3 = 7 pp
3 – Katana Portobello (Cesar Gomes Neto): 5+2+1+4+(7 DNC) = 12 pp
4 – eCycle +Realizado (José Luiz Apud): 2+(5)+4+3+4 = 13 pp
5 – Barracuda (Humberto Diniz): 4+4+(5)+5+2 = 15 pp
6 – Kaikias (Renata Dcnop): (6)+6+6+6+5 = 23 pp

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.