Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Brasileiros são campeões mundiais na vela

Antonio Alonso

15/10/2018 19h02

Jorge Zarif e Guilherme Almeida vencem mundial de Star nos Estados Unidos

A história da classe Star no Brasil tem mais um campeão mundial.

Neste fim de semana, a dupla Jorge Zarif e Guilherme Almeida se tornou a melhor do mundo na categoria

Os brasileiros fizeram um campeonato consistente em Chesapeake, nos EUA, e saíram com o ouro.

Jorge Zarif repete o feito que teve anos atrás e agora tem no currículo os mundiais de Star e Finn.

"Muito importante, uma realização pessoal enorme. Só quatro pessoas ganharam mundial de finn e star na história, então fico bem feliz de estar nesse grupo", disse Jorge Zarif.

Jorginho, como é chamado no meio da vela, é o mais jovem campeão mundial de finn e segundo de star.

"O Guilherme aprendeu a velejar com meu pai de star quando tinha 14 anos, então é legal demais poder ganhar este campeonato com ele", completou Zarif.

O brasileiro Arthur Lopes, na proa da lenda Paul Cayard, conquistou o terceiro lugar do pódio.

Bruno Prada, campeão olímpico ao lado de Robert Scheidt, ficou com a 13ª colocação entre os 60 barcos participantes velejando ao lado de Augie Diaz, velejador norte-americano.

Jorge Zarif entra na galeria dos timoneiros brasileiros campeões mundiais de Star ao lado de Torben e Lars Grael, Robert Scheidt e Alan Adler.

(Foto: Manolo Bunge)

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.