Sobre as Águas

Arquivo : setembro 2015

Brasileiros fazem últimos treinos antes da regata Transat Jacques Vabre
Comentários 2

Antonio Alonso

Transat Jacques Vabre

Regata marca o retorno do primeiro campeão olímpico da vela do Brasil, Edu Penido, ao circuito internacional.

Faltando um mês para a largada para a décima segunda edição da Transat Jacques Vabre, a primeira dupla brasileira da história da competição, Edu Penido e Renato Araújo, faz os últimos ajustes para a complicada travessia entre a França e o Brasil. A regata partirá, no dia 25 de outubro, de Le Havre, cidade no Norte da França, com destino à catarinense Itajaí. A bordo do veleiro Zetra, os brasileiros farão o percurso de 5.400 milhas náuticas – cerca de 10 mil quilômetros, em um barco da Class40, uma categoria bastante famosa na Europa.

“São barcos novos e as tripulações são bastante experientes. Quanto a nós, somos novatos, mas temos um bom barco. Nossa meta é ganhar experiência”, avalia Edu Penido. Além de ser o primeiro campeão olímpico da vela do Brasil pela classe 470, ele também foi treinador-chefe da seleção olímpica brasileira e fez parte do Brasil 1 na Volvo Ocean Race.

O barco Zetra, que ganhou a bandeira brasileira no início deste ano, é o mesmo que venceu a edição de 2013 da competição. Na época, com o nome GDF Suez, a dupla francesa Sébastien Rogues e Fabien Delahaye foi campeã da Class40 a bordo do veleiro, vencendo o mesmo trajeto entre Le Havre (França) e Itajaí (SC).

Para o também medalhista olímpico, Lars Grael, será um grande desafio para os dois brasileiros. “Depois do veleiro Brasil 1 [primeiro barco brasileiro que disputou a regata de volta ao mundo], a dupla fará o projeto mais impactante da vela oceânica brasileira”, aponta Lars Grael.

Foto: Jean-Marie Liot

A Transat Jacques Vabre

Em outubro, na França, largarão quatro classes divididos entre monocascos e multicascos. Por ordem de tamanho, a Class40 (veleiros de 40 pés) contará com 14 duplas, a Multi50 (50 pés) terá 4, a IMOCA (60 pés) terá 20 e a Ultime (barcos de até 102 pés) outras quatro duplas. Ao todo, serão 84 velejadores ao longo da mais extensa travessia transatlântica.

A Transat Jacques Vabre, regata que é disputada em duplas, larga sempre da cidade portuária de Le Havre, na Normandia, sempre com destino a um país produtor de café, característica que lhe rendeu o apelido de “Rota do Café”. Já tendo passado por cidades como Cartagena (Colômbia), Puerto Limon (Costa Rica) e Salvador (BA) em 11 edições, essa será a segunda vez que a competição terá a cidade catarinense como chegada. Em 2013, a regata reuniu mais de 590 mil visitantes nas duas Vilas da Regata (Le Havre e Itajaí).


Transat Jacques Vabre. Regata entre França e Brasil terá 42 barcos
Comentários Comente

Antonio Alonso

Transat Jacques Vabre

A 12ª edição da Transat Jacques Vabre começa em outubro e a organização confirmou, nesta terça-feira (15), as 42 duplas que participam do desafio pelo atlântico entre Le Havre, na França, e Itajaí, no Brasil. A apresentação oficial das equipes e das classes em disputa foi cinema Arlequin, no 6º distrito de Paris. A vela nacional será representada pela dupla Eduardo Penido (primeiro campeão campeão olímpico da vela brasileira) e Renato Araújo. A dupla estará a bordo do barco Zetra, veleiro da Class40.

O encontro na capital francesa representou a contagem regressiva para a grande largada, em Le Havre, no dia 25 de outubro, um domingo, às 13h30. A partir de agora, restam apenas 40 dias para as tripulações se prepararem antes de embarcar rumo a Itajaí, no Brasil. O dia foi de festa no cinema parisiense de Arlequin, criado em 1962, por Jacques Tati, figura conhecida na França. A conferência de imprensa da Transat Jacques Vabre 2015 reuniu skippers, parceiros e toda a imprensa para conhecerem a nova edição da regata, que promete ser extremamente humana, mas ao mesmo tempo muito técnica, e cheia de reviravoltas ao longo do percurso.

Em seus 22 anos de história, esta edição será ainda mais intensa que as anteriores: é a 12ª edição, com duas classes de multicascos (Ultime e Multi50), duas classes de monocascos (Imoca e Classe40), entre duas cidade (Le Havre e Itajaí), que unem dois países (França e Brasil) e os dois tradicionais parceiros (Le Havre e Jacques Vabre), responsáveis por dar continuidade à competição ao longo dos anos. Além, é claro, de dois velejadores para cada barco.

Uma edição de peso em 2015
Os ingredientes da regata davam um bom filme e o lançamento da edição não poderia ser em lugar melhor. Um cenário incrível: a água, o Atlântico. A luz natural: o sol e a lua. Sons que mexem com a gente: o vento, as ondas batendo contra o casco e o atrito dos cabos. E, especialmente, pessoas vindas de todos os lugares. As 42 duplas daTransat Jacques Vabre 2015 formam um grupo de velejadores de peso. Entre eles, estão estrelas como Michel Desjoyeaux, François Gabart, Kito de Pavant, Marc Guillemot, Armel Le Cléac’h, Jean-Pierre Dick, Vincent Riou, Yann Elies, Sébastien Josse, Alex Thomson e Yvan Bourgnon. Além de jovens como Morgan Lagravière, Paul Meilhat, Jack Bouttel, Charlie Dalin e Alan Roura. Mas os nomes não param por aí. A lista é longa!

Principais números desta edição:

– 42 barcos;
– Distância a ser percorrida: 5.400 milhas;
– 4 classes de barcos, sendo 14 da Classe40, 4 da Multi50, 20 da Imoca e 4 da Ultime;
– 592.000 visitantes em 2013 (entre Le Havre e Itajaí);
– Data limite para os barcos se apresentarem em Le Havre: 16 de outubro, às 12h.


Knut Frostad deixa o comando da Volvo Ocean Race
Comentários Comente

Antonio Alonso

 

Volvo Ocean Race

Depois de oito anos como CEO da maior regata de volta ao mundo do planeta, norueguês entregará o cargo em dezembro deste ano por razões familiares. 

O norueguês Knut Frostad anunciou que irá deixar o cargo de CEO da Volvo Ocean Race no fim da temporada 2015 por motivos familiares. O ex-atleta olímpico de 48 anos comandou a regata nas últimas três edições (2008-09, 2011-12 e 2014-15).

Um dos principais legados de Knut Frostad no cargo máximo da organização foi a introdução dos barcos rigorosamente iguais no evento anterior. ”Estou muito orgulhoso por ajudar a transformar a regata numa organização profissional e de alto nível. O evento consumiu quase metade da minha vida! Foi uma das decisões mais difíceis que tomei na minha carreira. Agora quero dedicar mais meu tempo para a minha família”.

Knut Frostad emendou: “A Volvo Ocean Race se inseriu no futuro da modalidade com o formato one-design dos barcos. Temos uma grande equipe em nossa sede em Alicante e os patrocinadores Volvo Car Group e Volvo Group continuam empenhados em elevar o nível da regata”.

Como velejador, Knut Frostad disputou quatro edições da Volvo Ocean Race. Em 2005-06 foi integrante do Brasil 1. Em 2001-02, o norueguês comandou o Djuice Dragons, em 1997-98 correu no Innovation Kvaerner e em 1993-94 no Intrum Justitia.

Integrantes do alto escalão do Volvo Ocean Race comentam a decisão de Knut Frostad.

“Knut tem feito um trabalho fantástico no comandando e desenvolvimento da Volvo Ocean Race. É um líder mais do que apaixonado. Nós compreendemos e respeitamos o seu desejo de passar mais tempo com sua família. Vamos sentir muita falta dele”, escreveram em uma declaração conjunta Henry Sténson, vice-presidente sênior do Volvo Group, e Per Löjdquist, presidente do conselho da Volvo Ocean Race.

“Knut é a cara e força motriz por trás da regata mais desafiadora de oceano e de prestígio no mundo. Lamentamos, mas, ao mesmo tempo, respeitamos sua decisão. Nós só podemos desejar o melhor pra ele e sua família”, acrescentou Alain Visser, vice-presidente sênior de marketing, vendas e serviços ao cliente da Volvo Car Group.

Knut Frostad resume bem a Volvo Ocean Race parafraseando o falecido Sir Peter Blake: “Não há nada como essa regata . Ela entra no seu sangue e você não pode se livrar dela!  A Volvo Ocean Race é uma experiência única na vida e estou realmente grato por dedicar meu tempo como chefe da organização, mas também por todas as amizades que se formaram durante este tempo.

“Tem sido um privilégio trabalhar para a Volvo e estar envolvido com todas as partes da regata. Muitos se tornaram amigos pessoais”, disse Knut Frostad, que permanecerá no cargo de CEO até o final de 2015. O seu substituto ainda não foi definido.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>