Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Ginga conquista terceiro título brasileiro de HPE 25 no Rio de Janeiro

Antonio Alonso

18/11/2018 19h37

Ginga e Phoenix duelam na Baía de Guanabara (José Olímpio / ICRJ)

O multicampeão Ginga, de Ilhabela, quebrou o tabu de nunca ter conquistado um campeonato no Rio de Janeiro. Aliás, foram dois títulos em apenas uma semana. Antes de vencer o Brasileiro de HPE 25, encerrado neste domingo (18), o Ginga ganhou a Copa Gil Souza Ramos, que rendeu um HPE 25 "zero km" ao comandante Breno Chvaicer, em troca do barco atual.

Estavam previstas oito provas, duas por dia, mas a falta de vento impediu que a Comissão de Regatas (CR) montasse a raia de forma adequada neste domingo. Apesar do nordeste fraco, com 5 ou 6 nós, a CR ainda tentou largar por duas vezes, junto à Praia do Flamengo, mas a maioria dos 27 barcos queimou a largada nas duas ocasiões, comprovando que estava inviável a realização de regatas.

Foi mantida a classificação de sábado, com seis regatas e um descarte do pior resultado. Três provas já validariam o campeonato. Campeão em 2011 e 2013, ambas disputas em Ilhabela, o Ginga venceu três das seis regatas do Brasileiro de 2018, somando apenas sete pontos perdidos, contra 13 do Phoenix, da Flotilha Guarapiranga, e 22 do 14 Bis, do Rio de Janeiro. Os duelos entre Ginga e Phoenix, vencedor de duas regatas, marcaram o campeonato. O 14 Bis obteve uma vitória.

"Foi uma semana muito satisfatória. Vencemos duas competições seguidas. Infelizmente não tivemos regatas no domingo, mas não faltou emoção nos três dias anteriores. Encerramos a participação do Ginga 22 com chave de ouro. O barco mostrou que tem pedigree", enalteceu Chvaicer. O novo Ginga, prêmio da Copa Gil Souza Ramos, terá numeral 61. O Ginga 22 já foi entregue, conforme o regulamento da copa.

O Ginga 61 já está deixando o Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ) para estrear mo próximo fim de semana, 24 e 25 de novembro, na Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica. O 22 deixa um legado vitorioso na história da Classe HPE 25: três títulos brasileiros, cinco conquistas na Semana de Vela de Ilhabela e sete vezes campeão paulista.

Trimmer (responsável pelas velas) do vice-campeão Phoenix, Juninho de Jesus retorna para casa com a satisfação do objetivo alcançado. "O campeonato foi duro, com regatas muito equilibradas e disputadas na parte da frente da flotilha. No primeiro dia sentimos falta de treino. Não subíamos no barco desde abril, no Campeonato Paulista, na Represa Guarapiranga. O segundo lugar nos deixa muito felizes" comemorou o velejador ilhabelense, campeão brasileiro com o Phoenix em 2017, em Ilhabela.

Classificação após seis regatas (um descarte)

1 – Ginga (Breno Chvaicer) – Ilhabela: 1+2+1+(8)+1+2 = 7 pontos perdidos

2 – Phoenix (Souza Ramos) – Guarapiranga: (DNF)+1+3+6+2+1 = 13 pp

3 – 14 Bis (Victor Demaison) – Rio de Janeiro: (DNF)+3+11+1+4+3 = 22 pp

4 – Bond Girl (Rique Wanderley) – Guarapiranga: 7+5+2+4+(8)+6 = 24 pp

5 – Relaxa (Arthur Vasconcellos) – Guarapiranga: 2+(14)+5+2+9+8 = 26 pp

6 – Dom (Pedro Lodovici) – Ilhabela: 4+4+6+5+(11)+7 = 26 pp

Campeões Brasileiros da classe HPE 25*

2007 / Ilhabela – Tigre (Marcos Adler – RJ)

2008 / Búzios – Bond Girl (Rique Wanderley – SP)

2009 / Ilhabela – Tigre (Marcos Adler – RJ)

2010 /Angra dos Reis – Max (Bruno Prada – SP)

2011 / Ilhabela – Ginga (Breno Chvaicer – Ilhabela)

2012 / Rio de Janeiro – Atik (Henrique Hadad – RJ)

2013 / Ilhabela – Ginga (Breno Chvaicer – Ilhabela)

2014 / Rio de Janeiro – Relaxa (Haroldo Solberg – RJ)

2015 / Ilhabela – Magoo (Augusto Falletti – SP)

2016 / Rio de Janeiro – Rio Sail Tech (Victor Demaison – RJ)

2017 / Ilhabela – Phoenix (Eduardo Souza Ramos – SP)

2018 / Rio de Janeiro – Ginga (Breno Chvaicer – Ilhabela)

*Em 2005 e 2006 houve disputa informal da classe. O Campeonato Brasileiro de HPE 25 teve início oficial em 2007.

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.