Topo
Sobre as Águas

Sobre as Águas

Copa Vela Master Brasil é exemplo de vitalidade na Guarapiranga

Antonio Alonso

03/10/2018 12h51

Calasses Finn, Snipe e Laser antes da largada na Guarapiranga (Danilo de Menezes / Curupira)

A Copa Vela Master Brasil (VMB) comprovou neste fim de semana (29 e 30/9) na Represa Guarapiranga que a vela é um esporte sem limite de idade. Velejadores de 50, 60, 70 anos ou mais, deram um exemplo de vitalidade ao correrem no sábado três regatas em sequência, válidas pelos campeonatos paulistas de Snipe, Laser (Standard e Radial) e Finn. A competição com sede no Yacht Club Paulista (YCP) ainda valeu pela 6ª Etapa da Copa VMB de Laser, com suportes de Yacht Club Santo Amaro (YCSA) e Federação de Vela do Estado de São Paulo (Fevesp).

As três regatas foram disputadas com vento de sul a sueste entre 8 e 10 nós. No domingo, primeiro a calmaria e depois a tempestade, impediram que 57 barcos corressem a quarta regata, que completaria o programa. Consideradas as provas da véspera, tornaram-se campeões paulistas: Ricardo Barbosa e Gustavo Queiroz (YCSA) na classe Snipe, Ricardo Santos (YCSA) na Finn, Gustavo Malta (Pajuçara-AL) na Laser Standard e Iago Whately (YCSA) na Laser Radial.

Organizador do evento e criador do Grupo Vela Master Brasil, o velejador da Classe Laser, Manfred Kaufmann Jr. comemorou a iniciativa. "Quase 60 barcos de quatro classes confirmam o potencial da categoria máster. Há muito tempo não víamos tantos barcos dessas classes juntos na raia". A Copa VMB reuniu velejadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Sergipe e Alagoas.

Em contato com os competidores veteranos, após as regatas, Kaufmann obteve retorno positivo e incentivo para desenvolver a categoria. "Os velejadores foram receptivos à oportunidade de competir em igualdade de condições com adversários da mesma faixa etária. O projeto vai crescer", afirmou Kaufmann, otimista com o futuro.

O grupo está completando apenas um ano e já se mostra ativo em relação aos eventos que estão sendo criados. A Copa VMB de Laser teve seis etapas em 2018: Recife, Florianópolis, Niterói, Juiz de Fora, Rio de Janeiro e São Paulo. A previsão para 2019 é de oito etapas, incluindo-se Porto Alegre e Brasília. A Classe Laser projeta ainda para o próximo ano, realizar o primeiro Campeonato Brasileiro Master no Rio de Janeiro, devido ao sucesso da etapa carioca em 2018.

Três dias de asfalto antes da água – A Copa (VMB) motivou o velejador Márcio Alves, de Aracaju (SE), a vir para São Paulo. O barco Laser Standard percorreu 2.300 quilômetros sobre a capota da caminhonete em que Márcio viajou ao lado da mãe e da tia. "Fui muito bem recebido e está bem divertido, na água e no clube. Eu não velejava na Guarapiranga a há uns 25 anos. Quero aproveitar também para fazer umas comprinhas no centro da cidade e tomar um banho de civilização na Avenida Paulista", relatou o velejador sergipano.

Márcio é filiado ao ICAJU – Iate Clube de Aracaju, onde costuma correr regatas regionais. Neste primeiro ano da Copa VMB, também disputou a etapa de Pernambuco, em Maria Farinha. "Espero que a presença maciça na categoria máster, sirva de incentivo aos jovens da Optimist, afinal, eles são o futuro da vela", desejou Márcio, que começou a velejar de Snipe aos 17 anos, mas apenas há sete meses comprou o Laser. "Quero treinar mais para melhorar meus resultados".

Aprovação de campeão mundial – A Copa VMB contou com o prestígio de Jorge Zarif, velejador olímpico e campeão mundial da Classe Finn. Associado ao YCP, Jorginho incentivou os veteranos da vela. "Ver esses velejadores da categoria máster na Guarapiranga é gratificante. Na Europa, os mundiais de máster chegam a reunir 350 barcos. O projeto Vela Master Brasil é muito bacana e pode contar com meu apoio", ratificou Zarif em campanha para os Jogos Tóquio 2020.

O Grupo Vela Master Brasil foi idealizado pelo velejador olímpico Manfred Kaufmann Jr, o Fips, representante brasileiro da Classe Flying Dutchman nos Jogos de Moscou, em 1980. A iniciativa de manter os velejadores veteranos competindo em alto nível, teve inspiração na experiência vivenciada por Kaufmann no World Master Games em abril de 2017 na Nova Zelândia, com 200 participantes na Classe Laser.

Copa Vela Master Brasil (Campeonato Paulista)

Classe Snipe

1 – Ricardo Barbosa e Gustavo Queiroz (YCSA)

2 – Federico Hackerott e Eric Van Deursen (YCP)

3 – Marcos Val e Alejandro Olio (YCP)

Classe Laser Standard

1 – Gustavo Malta (Iate Clube Pajuçara – AL)

2 – Ricardo Scheible (Clube de Campo Castelo)

3 – Carlos Eduardo Wanderley (YCSA)

Classe Laser Radial

1 – Iago Whately (YCSA)

2 – Naltor Coelho (Iate Clube de Santa Catarina)

3 – Cristiano Fuchs (YCSA)

Classe Finn

1 – Ricardo Santos (YCSA)

2 – Luis Mosquera (Iate Clube do Rio de Janeiro)

3 – Cristiano Ruschmann (YCP)

Sobre o Autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estreia seu blog em novo endereço no UOL.

Sobre o Blog

A vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Bem-vindo a bordo.